Renato Rovai

Blog do Rovai

Coluna política

01 de novembro de 2013, 18h16

Eduardo Cunha explica por que é contra neutralidade na rede: “querem comunizar a Internet”

Querem comunizar a Internet, diz Eduardo Cunha   O líder do PMDB na Câmara Federal, o deputado Eduardo Cunha, acaba de publicar uma série de tweets no seu perfil respondendo (sem responder de forma direta) ao post publicado neste blogue na tarde de ontem. Entre os tweets, segue a sequência publicada abaixo:   “Querem e […]

Querem comunizar a Internet, diz Eduardo Cunha

 

O líder do PMDB na Câmara Federal, o deputado Eduardo Cunha, acaba de publicar uma série de tweets no seu perfil respondendo (sem responder de forma direta) ao post publicado neste blogue na tarde de ontem. Entre os tweets, segue a sequência publicada abaixo:

 

“Querem e comunizar a internet,obrigando a fornecerem de forma ilimitada a infra para qualquer tamanho de transito,com preci igual para todos.

Ou seja o consumidor paga o que não usa para os outros usarem.Isso e neutralidade?

Ninguém esta pensando no pobre consumidor.E como se a gente permitisse a urilizacao de luz a vontade e todos pagassem a mesma conta.

Quem usasse ar condicionado e chuveiro eletrico pagasse o mesmo de quem tem casa popular.

Ou seja,isso e debate ideológico,disfarçado de neutralidade.E igual a democracia dos meios de comunicação
É uma clara tentativa de confundir o debate. Não existe preço maior por conta da neutralidade. Aliás, o Brasil tem um dos preços mais caros do mundo. O custo de um mega aqui é 65 vezes mais caro do que no Japão.

Mas o mais bizarro de tudo é a tentativa de politizar a questão buscando convencer o campo conservador. O deputado diz que querem “comunizar” a internet. Se ele quer dizer que queremos tratá-la como algo do comum, de todos os cidadãos e não apenas um ambiente de negócios, tem toda a razão. Aliás, a internet foi construída para ser isso, um ambiente comum e distribuído. Sem salas de controle. Mas gente como Eduardo Cunha querem aprisioná-la.

Mas ele quer fazer outra coisa, quer usar o típico discurso dos tempos do AI-5, quando em tudo as pessoas viam ação de comunistas (provavelmente, neste caso, eles querem comer criancinhas na Internet, né, deputado?) .

Eduardo Cunha assume o posto de líder dos que querem calar a internet.

E aproveita para  atacar a todos que lutam pela democratização das comunicações.

Ele sabe bem de que lado está. E a serviço de quem. Mas nós também.