Renato Rovai

Blog do Rovai

Coluna política

17 de dezembro de 2014, 09h22

Por que a Folha não perguntou pra Globo por que ela emite nota da Rádio pra vender TV?

A Folha mandou perguntas pra Fórum para que ela se defendesse por receber 10 mil por mês em 14 anos, mas não perguntou pra Globo o que ela acha de ter recebido 5,3 bilhões

felipao sociaA Folha está investigando há algum tempo o investimento das estatais em publicidade. Já havia conseguido ter acesso aos recursos utilizados neste quesito pela administração direta, mas imaginava que ao conseguir os dados das estatais revelaria que a blogosfera que não bate continência para o mercado e que não é chapa branca dos banqueiros e das grandes coorporações seria pega com a boca no botija.

Ontem escrevi um texto aqui revelando que às 18h58 uma repórter (seria mesmo?) do jornal havia tentado não reportar a resposta da Fórum e por isso mandou um email exigindo uma resposta no mesmo dia.

A Fórum não respondeu à Folha primeiro porque a Folha não é boa companhia. E a Fórum sabe que não é aconselhável andar e nem ficar falando por aí com más companhias.

A Folha mandou perguntas pra Fórum perguntando se com 10 mil reais brutos por mês ela bancaria todo os seus custos, mas não perguntou pra Globo porque ela emite nota fiscal da Rádio Globo para publicidades que são inseridas na TV Globo. Por que, por causa do Darf? Por causa do fisco?

A Folha mandou perguntas pra Fórum para que ela se defendesse por receber 10 mil brutos por mês em 14 anos, mas não perguntou pra Globo o que ela acha de ter recebido 5,3 bilhões (isso mesmo amigos, BILHÕES) e nem mandou o Frias explicar porque mesmo não registrando seus empregados (segundo diz a Danuza) conseguiu 206 milhões pra Folha e 45 milhões para o UOL.

Aliás, a inteligência por trás da grande reportagem da Folha se chama Fernando Rodrigues, que publica uma análise memorável sobre o rato que a montanha que ele tanto reverenciou pariu. Segundo o recém demitido jornalista da Folha, o governo não deveria fazer publicidade. Porque nos países desenvolvidos é assim. Mas o excelentíssimo jornalista não esclarece aos seus leitores que todos os dados que estão sendo divulgados hoje não são da publicidade da administração direta, ou seja, não são de ações do governo. São de empresas onde o principal acionista é o governo, mas que disputam o mercado.

Fernando Rodrigues por acaso estaria a sugerir (ó, pá) que o Banco do Brasil e a CEF não façam publicidade e deixem o Itau e o Bradesco dançar sozinhos na pista? Porque, segundo o próprio, 86% dos recursos da revelação de hoje são de verbas publicitárias do BB, da CEF e da Petrobras.

Aliás, caro jornalista, por que a mesma solicitação de informações sobre verbas publicitárias não foi enviada ao governo de São Paulo e de Minas? Será que há algo que aqueles que bancam a “investigação” têm algo a esconder por lá?

A reportagem da Folha tem de servir ao menos para algo, para modificar a distribuição de recursos publicitários. Não faz o menor sentido a desproporção de investimentos revelada pela reportagem. Se juntarmos todos os blogues, sites e revistas que não são sabujos do mercado e que hoje falam pra milhões de pessoas (Fórum teve 12 milhões de views só em outubro) os investimentos totais não chegam a ¼ do que a Folha que é distribuída de graça em postos de gasolina recebeu neste período. A Folha que não paga direitos trabalhistas, segundo a Danuza Leão.

PS: Como a Fórum tem muitos leitores jovens e eles não conhecem certos veículos, a Folha, colegas, é aquele jornal que publicou uma entrevista com o sósia do Felipão falando que era o Felipão de verdade. E que acreditou que ele estava com o Neymar viajando num voo comercial no meio da Copa do Mundo. Essa é a Folha.