Renato Rovai

Blog do Rovai

Coluna política

30 de dezembro de 2017, 17h07

O vídeo de Freixo é bom, mas não convence no caso da resposta sobre Boulos

Ponto para o Freixo por ter gravado o vídeo, ele se mostra democrático e permeável às críticas. Penaque tenha lhe faltado um pouco mais de humildade na resposta sobre o escorregão ao falar da candidatura Boulos.

Não quero ser chato e nem impertinente com o Freixo, por quem tenho respeito e simpatia, como já registrei no post anterior. Mas no vídeo que ele acaba de divulgar em que deseja um feliz 2018 e faz um balanço sobre a entrevista de ontem dada a Folha, ele diz que jornalista perguntou da “ideia” da candidatura Boulos. E por isso respondeu aquilo.

Segue a pergunta e a resposta publicada pela Folha. Não tem nada de “ideia” na pergunta”. Se for diferente ele tem então que solicitar um erramos.

Como surgiu a chapa Boulos?
A ideia do medo é muito forte e legitima a barbárie. Tenho medo da favela, então qualquer coisa que aconteça lá não me toca. Da juventude negra, então seu genocídio não me abala, não sou um deles. Brinco que nossos sonhos não cabem nas urnas, mas nossos pesadelos cabem. Esses debates todos me fizeram chegar ao Boulos. Estava em casa, tomando um café com minha companheira, a Antônia [Pellegrino, escritora e cofundadora do blog feminista #AgoraÉQueSãoElas, hospedado na Folha].

Quanto a sua posição em relação a não ver possibilidade de uma frente de esquerda no primeiro turno, já havia ponderado que vários veículos e pessoas distorceram o conteúdo de sua fala. Ele não disse ser contra a unidade em nenhum momento. Mas de qualquer maneira, me parece importante que tenha dito com todas as letras isso no vídeo.

Aliás, ponto para o Freixo por ter gravado o vídeo, ele se mostra democrático e permeável às críticas. Pena, porém, que tenha lhe faltado um pouco mais de humildade na resposta sobre o escorregão ao falar da candidatura Boulos. Bastava dizer, “ali eu me empolguei, claro que não foi daquele jeito…”. E ele sairia maior da história.

Aliás, teve ainda o “Boulos quase caiu da cadeira de susto”. Alguém acha que uma liderança construída nos conflitos com a polícia do Alckmin vai se assustar assim tão fácil. Ou mesmo vai se emocionar a ponto de só aceitar ser candidato por vaidade. Boulos não é assim. E faltou também esse reparo.

De resto, meus sinceros feliz 2018 ao Freixo. E que ele se eleja deputado com uma montanha imensa de votos no Rio, para que a bancada do PSoL, que é uma das melhores do Congresso, seja maior na próxima legislatura.