Cagaço rules: colunista demitida de O Globo se despede criticando “nova chefona”

Desejo sorte e muita capacidade para engolir sapos a quem fica. Sim, porque tem que ter estômago para aturar certas coisas. E elas são muitas e cada vez mais frequentes.

A mensagem que segue é um e-mail enviado por Cleo Guimaraes, ex-titular da coluna Gente Boa, do Segundo Caderno de O Globo, para um grupo de whatsapp de colegas da redação. Antes de publicar o blogueiro checou sua veracidade.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

“É isso aí, meu povo. Entrou uma senhorinha aqui no jornal querendo mudar tudo, e eu sou uma dessas mudanças. Levei um susto na hora, mas pensando bem, talvez tenha sido melhor sair mesmo. Não sei se conseguiria me adaptar a esse novo cof, cof, perfil do jornal. Sei lá. Jornalista que cobra por Post no Instagram? Que destrata a equipe? Que faz QUALQUER COISA por cliques? Acho que ia ser difícil.

Eu amava trabalhar no Globo. Mas vocês não têm ideia de como anda o clima na redação – um lugar historicamente barulhento, animado, cheio de energia. Agora tá todo mundo jururu, com medo da própria sombra. Um horror. São muitos chefes (o mesão no meio da redação não coube todos eles, pra você ver) e todos estão meio sem saber até onde vão os seus poderes, morrendo de medo da nova chefona. Cagaço rules.

Por falar na chefona, numa rápida conversa com ela, pude entender porque o sábio e querido Octavio Guedes pediu pra sair assim que o nome dela foi anunciado. Dureza.

Desejo sorte e muita capacidade para engolir sapos a quem fica. Sim, porque tem que ter estômago para aturar certas coisas. E elas são muitas e cada vez mais frequentes. Talvez por isso tenha tanta gente com herpes labial e outras doencinhas de fundo nervoso na redação. Haja Rivotril.

Vou sentir saudade de muita gente, principalmente do contato diário com as minhas cuticuti do coração, Maria e Fernanda, minhas irmãs pra toda a vida. Nossa coluna, nosso cantinho no quarto andar era muito bem frequentado! Ali recebíamos nossos amigos e amigas, amarradonas. Que lugar maneiro de se estar, que gente maneira. Demos muitos furos, mostramos ao mundo muita gente bacana. Mostramos os bastidores de tantos carnavais, tantos shows… Foi lindo

Saudades de Fibe, Silvio, Lichote, Fátima, Flávia, Nani, Helena, Bernardo, Márvio, boli boli, André, Josy, Izaal, Rolland, Ronald, Baldioti, Liv, Lívia, Luccas, Nem, Jacque, Luiza, Gil, Thalita, Romanholli, Inês, Bruno, adalba, boere… São tantas pessoas. Tantos papos no cafè! Isso sem falar na Carmen, essa maravilha da natureza. E no Ascanio, claro, que sempre apostou em mim. E no Paulo Motta, que tb já saiu do jornal.
Quero dar uma descansada e talvez viajar, pra voltar tinindo, trincando, para trabalhar. Onde, eu não sei. Mas vou voltar porque, acima de tudo, ADORO trabalhar e ser jornalista.

Qualquer coisa, to no celular (se você não tem, é fácil arrumar) ou no email, aquele Gmail velho de guerra que a gente deixa sempre de standby.
Beijos pra todos.
Segurem firme.”

PS: A chefona a quem Cleo Guimarães se refere é a nova diretora editorial da redação integrada dos impressos da Globo, Ruth Aquino. Na última reforma do grupo ela passou a comandar o jornal e a Editora Globo. A coluna Gente Boa de O Globo é uma marca do jornal. Já teve como titulares Zózimo do Amaral, Joaquim Ferreira dos Santos e Hildegard Angel, entre outros.

No artigo