Renato Rovai

Blog do Rovai

Coluna política

01 de agosto de 2018, 17h15

Paulo Teixeira confirma acordo PT e PSB e revela detalhes da negociação

PT ainda retira a candidatura de Marília Arraes, em Pernambuco, e o PSB de Márcio Lacerda em Minas. Socialistas ainda apoiarão Márcia Tiburi no Rio de Janeiro

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), que tem participado das negociações para construir apoio de outros partidos à candidatura Lula, acaba de confirmar ao blogue que o acordo do PT com o PSB está fechado.

Ele não significa um acordo formal entre as siglas para a presidência da República, mas tira de Ciro o PSB e reverbera em vários estados. “Nós queríamos o apoio formal ao presidente Lula, mas havia uma resistência de alguns diretórios do PSB e construímos o melhor acordo possível dentro dessa conjuntura”, afirma.

Teixeira explica que não é um acordo que tem implicações apenas em Pernambuco como vem sendo divulgado por outros veículos, mas em vários estados.

A contrapartida para a retirada da candidatura de Marília Arraes a governadora em Pernambuco é a retirada pelo PSB da candidatura de Márcio Lacerda em Minas, onde o PT concorre com o governador Fernando Pimentel. Minas é uma das prioridades do PT nesta eleição.

Em Pernambuco, o PT nacional fará um apelo para que Marília Arraes disputa uma cadeira na Câmara dos Deputados, já que o candidato do PT à reeleição ao Senado é Humberto Costa.

PSB vai apoiar Márcia Tiburi

Em vários outros estados o PT e PSB também trocarão apoios. Um que se destaca é o Rio de Janeiro, onde a filósofa Márcia Tiburi contará com o apoio e o tempo de televisão dos socialistas, segundo Teixeira.

No Rio de Janeiro este tempo de TV pode fazer de Tiburi uma candidata com potencial para chegar ao segundo turno.

Além do Rio, o PSB apoiará o PT no Acre, Ceará, Rio Grande do Norte e Bahia. Já o PT, apoiará o PSB no Amapá, Amazonas, Paraíba, Pernambuco e ainda se discute se também em Tocantins.

PCdoB mais perto

Paulo Teixeira avalia que este acordo com o PSB deixa o PCdoB mais próximo de um acordo formal com o PT. Acordo que já está bem adiantado conforme adiantou o blogue em outro post.

A questão que continua pendente é que o PCdoB gostaria que Manuela D’Ávila fosse a vice de Lula. E esta questão, segundo Teixeira, será definida por Lula a partir dos acordos que serão construídos. “Nós vamos buscar os apoios, quem decide o vice é o candidato. E ele é o Lula”, registra.

O acordo PSB e PT é uma vitória de Lula que, da prisão, continuou conversando para fortalecer sua candidatura. O grande derrotado é Ciro Gomes, que piscou para o tal centrão e foi descartado. E que agora fica sem o PSB, que considerava muito importante para a sua estratégia.