Cinegnose

por Wilson Ferreira

20 de abril de 2019, 18h19

Cem dias de guerra semiótica de Bolsonaro e a alternativa transmídia

Marca simbólica, como se fosse uma espécie de lua de mel de um governo recém-empossado com os eleitores, os 100 primeiros dias do Governo Bolsonaro mostraram que o período foi tudo, menos uma lua de mel


+ posts

12 de março de 2019, 06h00

O show que nunca termina: a guerra semiótica criptografada do clã Bolsonaro

O interminável show de dissonâncias cria o desvio de atenção necessário. Se funcionou na campanha eleitoral, por que não funcionaria com um presidente que “governa” através do Twitter?


05 de março de 2019, 17h11

O autoproclamado presidente José de Abreu e a “Carta Roubada” de Allan Poe

Na noite do dia 25 de fevereiro, José de Abreu se proclamou presidente do Brasil numa série de publicações no Twitter, ironicamente dizendo que seguia o exemplo do líder da oposição venezuelana


25 de fevereiro de 2019, 23h21

Globo adota “a boa notícia é que…” para tentar se salvar do baixo astral nacional

Não importa a pauta, seja de Cidades, Economia, Polícia, Polícia etc., parece que agora apresentadores e repórteres da Globo estão orientados a forçosamente encontrar “a boa notícia”


13 de fevereiro de 2019, 22h16

Avise a esquerda: luta de classes existe, e está em Brumadinho e no CT do Flamengo

É evidente que a Globo participa deliberadamente nessa treinada tabelinha com os delirantes e falastrões ministros e generais do governo atual – enquanto o jornalismo é “contra” a regressão das pautas identitárias e de costumes


04 de fevereiro de 2019, 22h39

A ameaça simbólica de Lula e a Síndrome de Brian da esquerda

Em todos esses últimos anos de Lava Jato, com os sucessivos nomes criativos das operações da PF para batizar cada show de meganhagem ao vivo na TV, é evidente que o Judiciário está muito consciente da natureza semiótica da atual guerra política brasileira


28 de janeiro de 2019, 15h47

Rebaixamento dos padrões de inteligência da Revolução Industrial 4.0 criou Bolsonaro

No momento em que Jair Bolsonaro saiu da sua zona de conforto e se expôs em cenários não controlados como o Fórum Econômico de Davos ou a tragédia de Brumadinho/MG, revela-se a sua condição limítrofe, com sérias deficiências cognitivas. E diante de pesquisas de opinião cujos resultados se colocam contra as principais linhas da sua “plataforma de governo”, muitos questionaram: mas afinal, como ele foi eleito?


27 de janeiro de 2019, 12h19

Rebaixamento dos padrões de inteligência da Revolução Industrial 4.0 criou Bolsonaro

No momento em que Bolsonaro saiu da sua zona de conforto e se expôs em cenários não controlados, revela-se a sua condição limítrofe, com sérias deficiências cognitivas


13 de janeiro de 2019, 13h30

Nova logomarca revela que Bolsonaro não consegue sair do personagem

Em cinema e teatro fala-se muito de atores que, de tão concentrados no personagem, não conseguem mais sair do papel. Uma análise semiótica da nova identidade visual do Governo Federal revela que nada mais resta para o presidente Jair Bolsonaro do que se manter no personagem da campanha eleitoral – belicoso e provocativo, pronto para criar sempre um novo inimigo


12 de janeiro de 2019, 16h47

Quando a realidade supera a comédia na série “Who is America?”

Como fazer uma sátira política de um país que parece imitar os estereótipos que a própria mídia faz da América? Como fazer humor de um país que já teve um ex-ator de Hollywood como presidente e, o atual, um dublê de empresário e ex-apresentador de reality show de TV? Esse é o desafio do comediante Sacha Baron Cohen na série “Who is America?” (2018-): como satirizar um país no qual a realidade parece superar a comédia


06 de janeiro de 2019, 11h39

As guerras táticas da comunicação de Bolsonaro

Bastaram apenas quatro dias desde a posse (ou possessão?) do presidente eleito, para ficar clara a linha de continuidade entre a campanha eleitoral e a estratégia de Governo: uma atividade sistemática e diária de comunicação que objetiva criar uma espécie de fosso repleto de crocodilos em volta do castelo. 


29 de dezembro de 2018, 17h42

Esquerda desarmada diante das operações psicológicas “alt-right”

Wilson Ferreira: Após a vitória eleitoral e nesse momento de governo de transição, ainda continua a todo vapor a criação de dissonâncias e ambiguidades com o propósito de gerar uma verdadeira cortina de fumaça para a opinião pública