#Milos Morpha

15 de agosto de 2015, 11h27

Oprimidos e opressores nos filmes de animais da Disney

O marxismo de meus pais refletiu em algumas das minhas referências cotidianas e culturais da infância. Eu cresci ouvindo Os Saltimbancos, adaptação de Chico Buarque para o musical infantil italiano inspirado no conto Os Músicos de Bremen. As músicas de Os Saltimbancos se referem à união solidária entre movimentos sociais diversos, representados por animais, contra […]


04 de agosto de 2015, 08h53

Inquietantemente Universal, por Cecília Shamá

  Querido pai,  Tu me perguntaste recentemente por que afirmo ter medo de ti. Eu não soube, como de costume, o que te responder, em parte justamente pelo medo que tenho de ti, em parte porque existem tantos detalhes na justificativa desse medo que eu não poderia reuni-los no ato de falar de modo mais […]


23 de julho de 2015, 11h59

A política de um melodrama

Ao falar de Jogo de Cena, Eduardo Coutinho percebia em sua última obra-prima um pouco da estética do melodrama. Ele apontava a performance dramática de que aquelas mulheres se utilizavam para confiá-lo a sua história. E, sem definir causa ou consequência, Coutinho justifica o fetiche narrativo de suas personagens pela proximidade da cultura literária brasileira […]


16 de julho de 2015, 09h43

O confronto americano de Um Bonde Chamado Desejo

Nenhuma peça teatral do século XX encontrou tanta repercussão cultural quanto Um Bonde Chamado Desejo, a obra-prima de Tennessee Williams. O conflito entre Blanche DuBois, Stanley Kowalsky e Stella ainda é aludido em comédias que brincam com o lirismo e o drama do texto e a afetação dos personagens. O grito desesperado por “Stella!” e […]


06 de julho de 2015, 12h34

Sense8: televisão militante

Eu gosto muito da Hollywood marxista dos irmãos Andy e Lana Wachowski. Matrix ainda resiste como uma pérola da ficção-científica mainstream. Apesar de suas duas continuações não serem muito apreciadas, o universo complexo que foi criado para a trilogia não esconde a inspiração nos conflitos básicos da sociedade capitalista. Gosto ainda mais, no entanto, quando […]


30 de junho de 2015, 08h34

“Um Lugar ao Sol”, “Pacific” e a classe média ridicularizada

  É muito interessante como se forma a cinefilia em um lugar que tem produzido cada vez mais filmes, e com um reconhecimento externo crescente, como é o caso de Pernambuco. A intenção cinéfila, sempre um movimento engajado por motivações estéticas, confronta-se com a presença próxima das figuras concretas que produzem os filmes quase sempre […]


25 de junho de 2015, 15h31

Jurassic World: passado e presente, por Pedro de Biasi

Existe uma dialética bastante hipnótica em Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros, sequência-re… (Reboot? Reconstrução? Refilmagem? Rebuceteio?) da obra-prima conjurada por Steven Spielberg. É fácil deixar a atenção se desviar dos frágeis efeitos visuais, dos sofridos diálogos, dos medonhos (vá lá) personagens e das paupérrimas sequências de ação quando se desenha, quase como subtexto, mas […]


16 de junho de 2015, 10h22

Sobre Pasolini e a Paixão de Viviany

Em uma matéria virtual, o G1 afirma que a releitura do martírio de Jesus Cristo interpretada pela modelo transexual Viviany Beleboni “chocou” parte das pessoas na Parada Gay de São Paulo do dia 7 de junho. A afirmação é potencialmente verdadeira, mas não escapa de ser burra e tendenciosa, como em quase todas as vezes […]


03 de junho de 2015, 09h23

A arte do crítico

              Oscar Wilde, figura essencial da antinostalgia vitoriana, tem um conto maravilhoso chamado O Retrato do Senhor W. H.. É a história de três intelectuais e a teoria literária de um deles, que, se provada, transformaria radicalmente a leitura hegemônica da obra de William Shakespeare. A teoria exposta em […]


02 de junho de 2015, 09h36

A ressaca pós-Mad Men: o sonho acabou, e você vai ficar bem, por Cecília Shamá

Não se pode repetir o passado – Nick Carraway. É claro que podemos. – Jay Gatsby. F. Scott Fitzgerald, O Grande Gatsby. Quem mais poderia vender uma Coca-Cola para o mundo que não Don Draper? Ele é o homem que vendeu o mundo, afinal, como nos diz a voz de Bowie nos vídeos promocionais da […]


01 de junho de 2015, 11h04

Spielberg e um cinema de aventura perdido

Recentemente, alguns colegas ridicularizaram publicamente a ode ao cinema clássico americano, evidenciada nos elogios ao último filme de Clint Eastwood, Sniper Americano, acusando-a de ser politicamente alienada. O comentário gerou uma repercussão de troca de farpas e indiretas bem diretas. No meio de tudo isso, um amigo cinéfilo soltou o ótimo comentário “cada um tem […]


20 de maio de 2015, 09h59

“Então quem matou o mundo?”, por João Vítor Pessanha

  “Meu mundo é fogo e sangue” Uma das sacadas mais inteligentes do cineasta George Miller nesse novo Mad Max foi incorporar os 30 anos entre Thunderdome e Fury Road ao arco do personagem. Isolado por todo esse tempo, num mundo cada vez mais desesperado e impiedoso, ele se tornou um animal cujo único instinto […]


15 de maio de 2015, 09h26

A última conversa de Coutinho

  O filme-homenagem é uma desgraça conhecida. Tragicamente dividido entre a beleza e a conivência, às vezes, ao menos, consegue os dois. Em momentos ainda mais raros, perde a covardia que se considera admiração ao sujeito homenageado, e aí surgem grandes filmes. Últimas Conversas, de Eduardo Coutinho, é também um filme sobre Eduardo Coutinho. O […]


11 de maio de 2015, 18h29

10 filmes: Eduardo Coutinho

        Últimas Conversas está estreando este mês no Brasil, mas ainda dói usar o termo “canto de cisne” para Eduardo Coutinho. Desde Santo Forte, quando o cineasta embarcou em uma produção mais assídua de longas-metragens e passou a ser reconhecido por determinados traços de estilo, cada novo filme de Coutinho, como vejo, […]


23 de abril de 2015, 08h16

A imagem-informação, por Francisco Cannalonga

    Em seu consagrado ensaio De Caligari à Hitler, Siegfried Kracauer argumenta que os filmes autorados durante o movimento expressionista na Republica de Weimar subjetivamente representavam o confuso inconsciente coletivo alemão, ainda em processo de cicatrização dos traumas da experiência alemã na Primeira Guerra. O desejo revolucionário contraditoriamente alinhado ao apego aa conceitos reacionários […]