Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

14 de março de 2015, 13h43

Ato #Dia13Diadeluta: Nei, taxista; Joana, desempregada e algumas impressões e informações

Centrais sindicais como a CUT e a CTB e movimentos sociais como o MST, movimento de moradia, movimento negro, movimento das mulheres, entidades estudantis com a UNE e UJS dentre outros organizam um ato em nível nacional. Milhares de pessoas ocuparam as ruas das capitais brasileiras e em São Paulo, mesmo sob forte chuva uma massa compacta ocupou das 10h até as 19h a avenida Paulista e saiu em passeata da até a Praça da República, tomando toda a extensão de duas grandes artérias da cidade (a avenida Paulista e a avenida da Consolação.

Todas as vezes que isso acontece  vemos na mídia grande sempre a mesma coisa, por vezes com requintes de humor: todos eles acusam a CUT de pagar para as pessoas irem na manifestação. Curioso que você nunca vê na grande mídia notícias como essas aqui sobre o ato golpista do dia 15/03:

Quem financia campanha do Impeachment e protesto de Caminhoneiros?

Manifestação do dia 15 é financiada por R$ 1 milhão no Piauí

A Folha manda meninos assustados para fazer DataFolha com as mesmas perguntas viciadas de sempre contra Dilma Rousseff e o PT (veja um deles no vídeo de Eduardo Guimarães). O Estadão publica duas matérias estilo ‘para nossa alegria’. Pausa para o print da primeira matéria do Estadão sobre esses provocadores. Vejam se você não se comovem com o fato de eles terem sido ‘obrigados’ a interromper o ‘protesto’ em ‘razão’ a forte chuva:

chapinha

Eu andei da Paulista até a República durante toda a Passeata, fiz vários vídeos como este aqui:
Pode chover, pode molhar, ninguém segura a resistência popular!

Nós andamos quilômetros embaixo de chuva lavando a alma em festa democrática sem nenhum, nenhum incidente. 100 mil pessoas que a #GloboGolpista que não sabe calcular a ocupação de 4 pessoas por metro quadrado cobrindo a Paulista e a Consolação juntas caminhando ou movendo-se sobre duas rodas no meio do temporal e em festa:

O disparate entre o público que ocupou as duas principais artérias de São Paulo com o que a mídia pró-golpe desinforma é tão grande que já tem evento no Facebook para ajudá-los a fazer contas: Mutirão p/ ensinar a Mídia Golpista a contar o Nº de pessoas em Atos e Passeatas e Marchas nas Ruas
na chuva

Foto: Conceição Oliveira, Avenida Paulista.

na chuva 2

Foto: Conceição Oliveira, Avenida Paulista.

Agora, nova pausa para o segundo primor do Estadão: uma longa matéria “para a nossa alegria, parte 2” onde 8 pessoas (eu disse oito manifestantes) que foram em 7 carros, (eu disse sete), enfrentar o ‘exército de Stédile’ e desistiram, porque eles são analfabetos políticos, pregam a volta do regime de exceção e tortura no Brasil, mas tem amor à própria vida:

mico2
Ao ler esta matéria eu não sei o que é mais bizarro: 1) o discurso de maluco dos 8 manifestantes; 2) O Estadão fazer uma matéria deste tamanho para a nossa alegria; 3) o número de carros ser 7 e o  de manifestantes 8, tipo teve um solidário que deu carona a outro (na chamada o número de manifestantes eram 6!); 4) a indignação dos valentões com o ‘exército de Stédile, 5) A camiseta do professor de Campinas há 3 dias em BSB pra ‘reforçar’ o ato de 8 pessoas dos Revoltados online…

Bom, já os diverti bastante com a ~qualidade de nosso jornalismo~ e se você que não foi ao ato em Sampa quiser informação de qualidade sobre ele, procure notícias nos sites das entidades como o da CUT (AQUI AQUI e AQUI, por exemplo, na blogosfera que cobriu o ato, com as publicações da Mídia Ninja ou dos #jornalistasindependentes, no link do evento do Facebook também tem muito material: AQUI.

O que eu gostaria de registrar são pequenas coisas.

A primeira delas a lição que CUT, MST, CTB, UNE, UJS, movimentos de moradia, movimento negro, mulheres, professores, cidadãos democratas que não participam de nenhum movimento deram ao resolver que fariam um ato em defesa do Estado de Direito, em defesa da democracia, em defesa da Petrobras, em defesa da Reforma Política, contra as medidas provisórias do ministro Joaquim Levy e pra mostrar que não só vencemos as eleições democraticamente, mas sabemos que democracia se constrói dia a dia e cobraremos de todas as autoridades eleitas que cumpram seu programa de campanha. Espero que : o terror que alguns companheiros petistas e até jornalistas e blogueiros de esquerda mostraram em conversas privadas tenha se dissipado, espero que eles tenham mais fé na força popular, independente de um PT acuado e titubeante.

A segunda lição que o povo do #dia13diadeluta deu foi para a mídia bandida que fez de tudo para esvaziar a mobilização do ato: ‘Lula não vai” era manchete; “Governo pede a CUT que cancele o ato” outra manchete mentirosa e que tratava a maior central deste país como se fosse um time de futebol e seu presidente um chefe de torcida organizada. Muitos dos repórteres da #Globogolpista que desfilaram de capacete como se fossem pra guerra devem ter ficado desnorteados ao ver aquela multidão de gente, embaixo de chuva torrencial e em festa.

capacete

José Roberto Burnier repórter da Globo está cobrindo um ato ou uma guerra? Foto: Sérgio Mendes.

Precisamos informar ao Burnier que nossa guerra é contra a manipulação, mas ninguém nesta manifestação além de desmascarar a manipulação de uma emissora que nasceu com o golpe militar iria agredir fisicamente vocês.

No Rio também teve flagrantes interessantes, esta conversa  entre repórter do SBT e João Pedro Stédile é um deles:

Vídeo – Mídia Ninja

A última lição vai para os golpistas, todos eles: os tucanos, os empresários que financiam locaute de empresas de transporte e movimentos golpistas nas ruas e nas redes de descerebrados, a UDN Gourmet, os palhaços midiotas incensados pela mídia golpista e os analfabetos políticos que prestam serviços a esta malta.

Eu conversei com muitas pessoas durante o ato de ontem, sempre querendo saber quem elas eram, de onde vinham, se estavam ou não vinculadas a algum partido, sindicato ou movimento. Se todos os cem mil manifestantes estivessem vinculados a sindicatos e movimentos sociais nada disso desqualificaria quem foi ao ato do dia de luta, como quer a grande mídia, ao contrário isso qualifica a manifestação e a diferencia da massa midiotizada que pede intervenção militar em regime democrático porque seu candidato foi derrotado nas eleições.

A chuva era intensa, absurda e os poucos momentos em que ela estiou eu tentei fazer alguns vídeos. Subi alguns no Instagram, mas infelizmente não deu para gravar tudo que vi e ouvi. Selecionei dois vídeos entre os que consegui fazer no meio do temporal e caminhando durante a passeata. Prestem bem atenção, eles mostram que nem todos se deixam enganar pela mídia golpista, que nem todos, mesmo tendo motivos reais pra estarem revoltados caem no golpe do discurso reacionário dos revoltados empresários que lucram com a campanha golpista do impeachment vendendo camisetas a 99 reais. Eles mostram que o povo pensa.

Joana me chamou a atenção desde a Paulista: mulher, negra, desempregada, residente da Zona Leste de onde saiu de bicicleta, vestida para a chuva para participar do ato. Tentei me aproximar dela algumas vezes, mas a chuva e a multidão dificultaram o contato.

Fiquei um bom tempo esperando a marcha caminhar para a Consolação em direção à praça da República, fiquei na esquina vendo a Consolação ser completamente preenchida e ainda com uma massa imensa na Paulista. Até que reencontrei Joana:

joana

Foto: Conceição Oliveira

Joana é moradora da Zona Leste, veio de bicicleta e está desempregada há 5 meses. Ela tinha todos os motivos pra cair no discurso de ódio dos revoltados online, mas veja o que ela pensa:

Joana escolheu vir para esta manifestação, ela não apenas sabe sobre a crise como está sentido na pele seus efeitos, mas ela tem consciência de classe. Pergunto a ela: você acha que a UDN Gourmet vai lutar por você no domingo? Ela com toda clareza do mundo: “De jeito nenhum!”

Presidenta Dilma, ouça a Joana, governe para as Joanas que a elegeram e que continuam a sair na rua para defender o seu governo.

O segundo entrevistado conheci na fila do metrô da Praça da República, como ficamos quase uma hora pra chegar até a catraca, consegui fazer a entrevista antes de ele desistir e ir a pé pra casa.

Nei quebra todos os estereótipos que temos: é careca, tem tipo físico fortão, mas não vai desfilar com os skinheads no domingo. Mora em Santa Cecília, região central de Higienópolis, mas é gente diferenciada; é taxista, mas não tem absolutamente nada daquele discurso reacionário de taxistas que ouvem o veneno das rádios paulistas 24 horas ao dia. Ele é bem informado e sabe exatamente porque temos de sair às ruas em defesa da Petrobras, ouça-o:

Por último, pela primeira vez desde janeiro de 2015, a direita golpista perdeu o comando da rede e do twitter nesta sexta. Das 10 hashtags mais usadas no twitter (entre 5h e 17h no dia 13/março), as quatro primeiras foram produzidas pela esquerda: 1 #Globogolpista (48.028 menções) 2 #Dia13diadeluta (17.819) 3 #Domingoeunãovouporque (14.819) 4 #Dilmalinda (7.753) Só em quinto lugar apareceu uma hashtag da direita (#canseidesertrouxaagoraeuvou – 4.290). 6 #Jornalistaslivres ficou em sexto lugar, com 2.475 menções. (fonte: Interagentes)

O ato na Paulista (e em várias outras cidades do Brasil nesse histórico #dia13diadeluta, a retomada das redes pela esquerda que estava zonza desde o início do segundo governo Dilma podem ser um ponto de inflexão na disputa política. Acompanhemos e lutemos. Democracia é matéria frágil em país de longa tradição escravista e autoritária. Viúvos da ditadura não se conformam com ela, com inclusão social é da natureza do escorpião. 

“Pisa ligeiro, pisa ligeiro, quem não pode com a formiga não assanha o formigueiro”, acho que a direita golpista entendeu o recado dado por 100 mil formigas em marcha.

pisaligeiro

Meme das redes sociais após o ato #dia13diadeluta