Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

11 de agosto de 2011, 02h10

“Foi preconceito. Tenho certeza disso” diz homossexual agredido na Paraíba

Homossexual agredido fala sobre assassinato na Praia do Jacaré
Inaê Teles, Portal Paraíba, com TV Cabo Branco
10/08/2011

“Foi preconceito. Tenho certeza disso”, contou ainda com medo o homossexual agredido na Praia do Jacaré. Ele resolveu romper o silêncio e revelar o que aconteceu na madrugada da última segunda-feira (8), que culminou no assassinato de Marx Nunes Xavier, de 25 anos. O jovem foi morto quando tentava defender o rapaz de um crime homofóbico.

De acordo com a vítima, ele estava se divertindo com umas amigas quando Aluízio Henrique Silva Cordeiro de Lucena, de 20 anos, se aproximou. “Ele não disse nada e deu um soco. Quando terminou ele disse que iria me pegar”, contou.

A vítima tentou se defender e uma confusão começou no local. “Neste momento a gente correu para cima dos seguranças”. A briga aconteceu nas proximidades do Golfinhos Bar. Os funcionários disseram que, por provocar brigas constantes, Aluízio estava proibido de entrar no estabelecimento.

Após a confusão, Marx teria perguntado o que havia ocorrido. Quando ficou sabendo do motivo da briga, resolveu ir até Aluízio para questioná-lo sobre a agressão. Passados alguns minutos as pessoas que frequentavam a praça da Praia do Jacaré ouviram os disparos e encontraram Marx ferido.

O homossexual contou para equipe da TV Cabo Branco que não conhecia Marx e nem Aluízio. A testemunha teve sua identidade protegida por medo de represálias.

“Ele foi tentar me ajudar porque não se conformou com o que viu e acabou morrendo”. Após o crime, a vítima da agressão acionou a polícia. “Eu tinha que fazer tudo para incriminar o acusado”, concluiu.

Segundo a Polícia Civil, o autor dos disparos é suspeito de ter cometido um duplo homicídio no Bessa no último dia 15.

Crime

Marx Nunes Xavier (foto ao lado), de 25 anos, foi assassinado quando tentava apaziguar uma discussão próximo ao Golfinho Bar, na Praia do Jacaré, em Cabedelo.

De acordo com a delegada Aurelina Monteiro, da 7ª Delegacia Distrital, dois homens teriam agredido verbalmente um rapaz homossexual que dançava com suas amigas.

O delegado responsável pelo caso é Erilberto Antônio, da 7ª DD. O suspeito foi identificado por testemunhas e é considerado foragido.

_________
Publicidade


hotelviagens_300x250.gif

Veja também:  Em João Pessoa, trabalhadores do transporte coletivo paralisam três empresas

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum