Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

27 de julho de 2013, 14h40

Fórum Nacional de Democratização das Comunicações: comitês no Pará e Amapá

Entidades instituem Comitês Estaduais do FNDC no Amapá e Pará

Por FNDC

24/07/2013

A luta pela democratização da comunicação é fortalecida em mais dois estados

Em Belém (PA) mais de cem pessoas se reuniram ontem (23), na sede OAB, para o lançamento do Fórum Paraense pela Democratização das Comunicações. No encontro, representantes de 50 entidades da sociedade civil se comprometeram com a divulgação e coleta de assinaturas da Lei da Mídia Democrática e definiram agenda para a participação na 17ª Plenária Nacional do FNDC.

“A plenária foi muito representativa, com pessoas de rádios comunitárias, blogs independentes, parlamentares, produtores culturais, associações de moradores, movimento da cultura digital e dezenas de entidades da sociedade civil. Todos confluindo com uma visão critica da comunicação: a falta de diversidade e de pluralidade nos meios de comunicação e a necessidade de mudança no quadro de monopólio”, destacou Orlando Guilhon, integrante da coordenação executiva do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC).

Guilhon destacou em sua fala a história do movimento pela democratização da comunicação no país e a importância da divulgação da Lei da Mídia Democrática. Por mais de três horas, os participantes discorreram também sobre temas como a comunicação pública, comunitária, a Banda Larga como direito universal e o Marco Civil da Internet, dentre outros. As entidades definiram que as sedes da CUT e CTB serão pontos de coleta de assinaturas da Lei da Mídia Democrática. Também foi proposta a realização de debates e atividades para a divulgação do projeto.

A atividade foi coordenada por Vera Paoloni (CUT/PA) e por Moisés Alves (Núcleo Paraense do Barão de Itararé). A mesa contou também com a presença de Sônia Corrêa (Barão de Itararé/DF), Marcos Roberto Santos (PT/PA), Jorge Panzera (PC do B/PA), Marinor Brito (PSOl/PA) e Leny Campelo (PPL/PA).

Participaram as entidades: Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/PA), Sindicato dos Bancários, Sindjufe, Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB), Levante Popular da Juventude, Centro de Estudos Brasileiro de Estudos em Saúde (Cebes), Marcha Mundial de Mulheres (MMM), Fetagri/Pa, Coletivo Fora do Eixo, UNIPOP, Assoc. dos Proprietários de Bancas de Jornais e Revistas do estado do Pará (Abep), Sindicato dos Jornalistas, União Brasileira de Mulheres (UBM) , Frente de Moradores Prejudicados da Bacia do Una, Fórum de Mulheres da Amazônia, Casa de Cultura da Terra Firme, Revista PZZ, Coletivo Luta FENAJ, MST, Comitê de Software Livre e Inclusão Digital, Idade Mídia Comunicação para Cidadania, Rede Mocambo, Sindicato dos Correios, Sinpro, Instituto de Educação Popular Imanatara, Fórum Municipal de Cultura, Associaçãoi de Mulheres Maria Quitéria, Coordenação do Programa Serpro de Inclusão Digital, ASL, Sindicato da Alimentação, SEPUB, Sindsaúde, Resistência FM, Sindicato dos Mototaxistas do Município de Belém, União Acadêmica Paraense (UAP), União da Juventude Socialista (UJS), União de Mulheres de Belém e GEMPAC.

Amapá

No último dia 15, em Macapá, foi criado o Comitê Regional do FNDC. No encontro, foi debatido a necessidade da criação do Comitê para a democratização da comunicação no estado.

Estão filiados ao Comitê FNDC do Amapá: Sindicato dos Empregados em Empresas de Processamento de Dados (SINDPD-AP), Informática e Tecnologia da Informação do Estado do Amapá (SINTRAF-AP), Sindicato dos Servidores Públicos em Educação no Amapá (SINSEPEAP), Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado do Amapá (STIUAP), Sindicato dos Servidores Público Federais Civis no Estado do Amapá (SINDSEP/AP), Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB), Núcleo de Estudo em Pesquisa Feminista da Amazônia e o Fórum Permanente em Defesa dos Direitos das Mulheres do Amapá.

Veja também:  No Pará, polícia prende fazendeiros que mataram sindicalista que deixou o PT para apoiar Bolsonaro

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum