Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

05 de setembro de 2011, 21h00

Gaddafi, a história se repete: ditador cúmplice do Ocidente, passa a ter idéias próprias e é derrubado

“É, outra vez, a história de um ditador brutal cuja cumplicidade com o ocidente acaba, sem happy end, no instante em que o ditador brutal deixa de ter utilidade para o ocidente ou começa a ter ideias próprias e a criar dificuldades para estratégias ocidentais regionais”

Em Trípoli, um mundo :) Smiley’s[1]

Por: MK Bhadrakumar, Indian Punchline
4/9/2011

Richard Falk, o conhecido ex-correspondente do Independent para o Oriente Médio, previu, brilhantemente, que, a menos que a inteligência ocidental conseguisse passar a mão, antes de todos, nos arquivos do regime líbio, surgiriam detalhes escandalosos dos contatos íntimos entre o Ocidente e Muammad Gaddafi.

Agentes do MI6 e soldados em terra da SAS britânica que controlavam as operações militares em Trípoli parecem ter conseguido, pelo menos em parte, manter fechada a caixa de vermes líbio-ocidental – ou, pelo menos, estavam conseguindo, até que ‘rebeldes’ líbios e outras gangues invadiram, sem saber, um prédio desconhecido da inteligência ocidental, do qual, ao que parece, operava Moussa Koussa, o homem forte e braço direito de Gaddafi, e onde guardava seus dossiês.

O que emergiu não chega a ser chocante – o passado controverso de Gaddafi não é, de modo algum, segredo. – Mas expôs muitos detalhes do nexo muito próximo entre o regime líbio e os serviços secretos britânico (MI6) e norte-americano (CIA). É, outra vez, a história de um ditador brutal cuja cumplicidade com o ocidente acaba, sem happy end, no instante em que o ditador brutal deixa de ter utilidade para o ocidente ou começa a ter ideias próprias e a criar dificuldades para estratégias ocidentais regionais. No caso de Gaddafi, quase com certeza, as divergências começaram em anos recentes, quando passou a dar sinais de querer afastar-se do ocidente e voltar-se para Rússia e China (e Índia). Em matéria de petróleo, esse foi o ponto ‘da virada’.

Documentos da inteligência líbia revelam que: MI6 e CIA operaram em íntima conexão com o governo de Gaddafi; a CIA manteve uma base na Líbia, por muitos anos; Gaddafi cooperou no programa de “entregas excepcionais” à Líbia, de prisioneiros islâmicos suspeitos de ter ligações com terroristas; a Líbia partilhou informações de inteligência com EUA e Grã-Bretanha, relacionadas ao mundo árabe em geral; na guerra ao terror, Gaddafi cooperou com a inteligência ocidental quase tanto quanto Hosni Mubarak do Egito; espiões do MI6 e da CIA competiam entre eles, por acesso privilegiado aos meandros do aparelho de inteligência de Gaddafi. A matéria do Time pode ser lida (em inglês).

A pregação moralista de Barack Obama e David Cameron, do alto do pedestal dos princípios, dos direitos humanos e da democracia, sobre a intervenção ocidental na Líbia, dá náuseas, para dizer o mínimo.

[1] Para saber o que é um “mundo Smiley’s”, se não souber, clique aqui

___________
Publicidade


geral_300x250.gif

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum