Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

03 de novembro de 2013, 13h55

Irmão de Ex de Kassab e atual de Alkmin emprestava sala para corruptos do #propinodutodemotucano da PMSP

Sala de irmão de ex-aliado de Kassab e secretário de Alckmin foi QG de grupo preso

Por MARIO CESAR CARVALHO, DE SÃO PAULO, Folha

03/11/2013 – 02h00

O escritório que os quatro auditores da prefeitura usavam como QG para cobrar propina de incorporadoras foi alugado pelo irmão do deputado federal licenciado Rodrigo Garcia (DEM-SP). O grupo chamava o local de “ninho”.

Rodrigo foi secretário de gestão da prefeitura entre 2008 e 2010, quando Gilberto Kassab era o prefeito, e atualmente ocupa a secretaria de Desenvolvimento Econômico do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Ele foi um dos aliados mais próximos de Kassab até 2011, quando romperam.

O irmão de Rodrigo, o empresário Marco Aurélio Garcia, confirmou ontem à Folha que aluga o escritório e emprestou-o no começo deste ano a Ronilson Bezerra Rodrigues, apontado como o líder do grupo pela Promotoria e Controladoria Geral do Município.

Os quatro auditores são acusados de cobrar propina para reduzir o valor do ISS (Imposto sobre Serviço) que os imóveis novos têm de recolher para obter a autorização para serem ocupados.

O QG era usado para fazer reuniões com empresários que tinham problemas tributários. Foi lá também que o grupo traçou estratégias para justificar o patrimônio de R$ 80 milhões que os quatro haviam acumulado assim que a corregedoria convocou-os para explicar a incompatibilidade entre salário e bens.

Marco Aurélio diz que conheceu Ronilson por meio de advogados, que recomendaram-no para fazer consultorias contábeis e tributárias para as empresas que tem no sul do país. Ele é dono de uma rede de supermercados em Santa Catarina desde 2010.

Ele conta que alugou o imóvel em 2010 para uma das empresas dele, a LBG Consultoria e Gestão, mas logo em seguida comprou a rede de supermercados.

O escritório fica num edifício chamado Ouro para o Bem de São Paulo, na região central de São Paulo, e pertence à Santa Casa.

O aluguel de uma sala de 25 metros quadrados custa cerca de R$ 500, com um condomínio de R$ 400.

O secretário Rodrigo Garcia nega ter qualquer relação com os quatro auditores da prefeitura. “Não sei onde é essa sala, nunca estive lá e não tenho relações comerciais com meu irmão”, afirma.

Ele diz que nunca se relacionou com os auditores, mas diz lembrar-se de Ronilson da época em que estava na prefeitura por causa do cargo que ele ocupava: o auditor foi subsecretário de Receita do município na gestão Kassab. O ex-prefeito não quis se pronunciar sobre o assunto.

Marco Aurélio diz não ter relação comercial com o irmão nem com políticos.

Leia também:
CGM criada na gestão Haddad já mostra frutos: prisão de funcionários públicos corruptos