Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

06 de maio de 2012, 17h58

Madre de Plaza de Mayo é assaltada pela segunda vez em dois meses

Para lá de suspeitos esses assaltos na casa de Nora Centeno, a polícia argentina precisa levar mais a fundo esta investigação.

Leia também: Carta das Mães de Maio brasileiras para as Madres e Abuelas de La Plaza de Mayo argentinas

Madre de Plaza de Mayo é assaltada pela segunda vez em dois meses

Por: Victor Farinelli, com informações de Infobae

-6/05/2012

Uma das mais emblemáticas Madres y Abuelas de Plaza de Mayo, fundadoras do grupo surgiu nos Anos 80 para exigir que notícias sobre o paradeiro de seus filhos e netos desaparecidos durante a última ditadura argentina (1976-1983), Nora Centeno, de 78 anos, teve sua casa invadida por três delinquentes, na noite de 5 maio, enquanto assistia televisão com parentes (um homem, uma mulher e uma adelescente menor), na cidade La Plata – região sul da província de Buenos Aires.

É a segunda vez que a casa de Nora é atacada nos últimos dois meses.

No dia 13 de março, a idosa se encontrava sozinha em casa quando dois invasores a amarraram, e logo a torturaram com golpes e tentativas de enforcamento. Na ocasião, também roubaram diversos documentos, o que levou a hipótese de que o crime poderia ter sido premeditado e com fins políticos.

O segundo assalto, ocorrido neste sábado, não teve violência física, mas também registrou roubo de documentos, além de alguns objetos de valor. As semelhanças entre os dois eventos não é o único indício de que os autores do segundo ataque possam ser os mesmos que praticaram o primeiro: uma das testemunhas disse que o sujeito que liderava o grupo durante a segunda invasão teria dito “viu que chamar a polícia não dá em m… nenhuma?”. Após o primeiro ataque, a polícia da Província de Buenos Aires chegou a capturar dois suspeitos de terem sido os autores do primeiro ataque, mas somente os interrogou.

Ainda assim, os casos passaram a ser investigados em paralelo, as autoridades policias argentinas afirmaram que a hipótese de que o segundo crime tenha sido uma represália pela repercussão do primeiro é apenas uma linha de conclusão, mas ainda não é a definitiva.

____________
Publicidade