Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

05 de setembro de 2015, 10h18

Não somos refugiados, estamos refugiados

Existem cerca de 50 milhões de pessoas na condição de refugiados no mundo.
Cerca de 50 deles, que vivem em São Paulo, provenientes de 12 países entre eles a RDC, Síria, Nigéria, Colômbia e territórios ocupados como a Palestina produziram uma música para explicar o porquê de estarem no Brasil.

A canção fala sobre os motivos que os levaram a sair de sua terra natal, como sofriam com perseguições religiosas, políticas, com as guerras, as catástrofes ambientais, pobreza extrema, violência e morte.

Ao longo do vídeo eles explicam que no Brasil se sentem mais seguros e podem planejar a vida.

Apesar das agressões racistas, xenofóbicas de parcela da direita no Brasil que assedia e ataca, inclusive fisicamente refugiados haitianos em seus locais de trabalho, muitos refugiados agradecem a acolhida do Brasil.

Permeado de depoimentos, o vídeo busca explicar aos preconceituosos que refugiado é uma condição, um deles diz: Não sou refugiado, estou refugiado.

Ao final, na Praça da Sé, com as bandeiras de seus países, eles formam um mapa do Brasil e agradecem a hospitalidade dos brasileiros.

O vídeo faz parte do projeto Refugees in Brazil (“Refugiados no Brasil”) e foi financiado pela Acnur, a Agência para Refugiados da ONU.

Assistam, o vídeo é belo e nos desperta para a necessidade de repudiarmos toda prática e discurso xenofóbico e acolher aqueles que não por escolha, mas por contingência tiveram de abandonar a terra onde nasceram.

Veja também:  Que país é esse?

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum