Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

26 de maio de 2011, 14h17

Presidenta vê vídeos apresentados por homofóbicos como se fosse o kit anti-bullying, cadê assessoria?

É esperado que a bancada fundamentalista (bastante articulada no Congresso e, parte dela, na base do governo) cobre seus apoios de campanha e pressione para manter seus valores teocráticos. A rede Record, da Igreja Universal, fez a campanha mais insidiosa dos últimos tempos, uma verdadeira cruzada homofóbica e de desinformação, veja aqui e aqui.

Mas é surpreendente que a presidenta não conte com uma assessoria capaz de informá-la! Cuidar de cartilhas e vídeos encomendados por secretarias especiais do MEC não é trabalho de chefe de Estado! Se por pressão da bancada fundamentalista e de uma mídia que não tem controle algum e pode, inclusive, ferir a Constituição, ao menos se espera que seus assessores sejam bem informados sobre materiais sob controle das secretarias de seus ministérios.

ABGLT: Vídeo mostrado a Dilma não é do kit anti-homofobia
Por: Ana Cláudia Barros
26/05/2011


Imagem do vídeo Probabilidade, que faz parte do kit anti-homofobia (Foto:Reprodução)

Os vídeos que motivaram a suspensão do kit anti-homofobia do Ministério da Educação pelo Executivo não têm ligação com o projeto, afirma o presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transexuais (ABGLT), Toni Reis.

Reis contou ao Terra Magazine que o material apresentado a presidente Dilma Rousseff era antigo, direcionado a adultos e confeccionado com o propósito de tratar de temas como prostituição e redução de danos para usuários de drogas.

Nesta quarta-feira (25), ao anunciar o cancelamento do projeto “Escola Sem Homofobia”, o secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, declarou que Dilma havia considerado o material inadequado.

– Creio estar havendo um grande equívoco, uma vez que os materiais apresentados à Presidente pelos homofóbicos mal intencionados não eram do kit. Parece que estamos revivendo o segundo turno da campanha eleitoral presidencial de 2010 – afirmou, numa alusão às pressões dos religiosos aos então presidenciáveis para que se posicionassem contrários ao aborto.


Cena do vídeo Torpedo(Foto:Reprodução)

“Quero ressaltar enquanto integrante de uma das organizações idealizadoras do kit, que o mesmo não contém cenas de sexo explícito, nem sequer um beijo e não foi editado nenhum material do kit com a logomarca do governo federal”, acrescenta.

Foi justamente este detalhe, a logomarca, que chamou a atenção de Reis. “Aí que pegamos o erro. Penetração anal, sexo oral, vaginal. Sem dúvida não é um material para distribuir em escolas. Sou professor, meu doutorado é em educação e homofobia. Eu vetaria se fosse presidente”, argumenta, lembrando que o kit passou pelo crivo da Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura (Unesco), Conselho Federal Psicologia, Procuradoria Geral da República, Ministério Público, entre outros.


Imagem do vídeo Encontrando Bianca, outro do kit anti-homofobia (Foto:Reprodução)

-Não precisamos de um País onde haja guerra santa. Temos que ser éticos. Nunca vi um material ser tão discutido. Está parecendo uma quadrilha de aloprados homofóbicos que não têm o que fazer. Deveriam se preocupar com pobreza, por exemplo – critica.

___________
Publicidade
//

Veja também:  Dilma avisa: “Bolsonaro vai responder na Justiça as mentiras lançadas contra mim”

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum