12 de dezembro de 2018, 18h09

“Bolsa estupro” é um dos assuntos mais populares do Twitter nesta quarta-feira

Termo voltou à tona nas redes sociais após as declarações da futura ministra da Mulher, Damares Alves, de que trabalhará para aprovar o Estatuto do Nascituro, medida que prevê uma bolsa para que mulheres vítimas de estupro não interrompam a gravidez

Reprodução/Twitter

O termo “Bolsa Estupro” é, desde a manhã desta quarta-feira (12), um dos assuntos mais populares no Twitter do Brasil. Internautas estão revoltados com as declarações recentes da futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, a pastora evangélica Damares Alves, de que trabalhará para aprovar o Estatuto do Nascituro.

A proposta que chegou a ser aprovada em comissões e está em tramitação no Congresso prevê criar “direitos” para o feto e uma “bolsa” para que mulheres vítimas de estupro não interrompam a gravidez. O texto original do Estatuto previa ainda transformar estupro ilegal em crime hediondo, mas o trecho foi retirado.

“O projeto mais importante em que a gente vai estar trabalhando é o Estatuto do Nascituro. Nós vamos estabelecer políticas públicas para o bebê na barriga da mãe nesta nação”, afirmou Damares na terça-feira (11).

Nas redes sociais, a maior parte das postagens são críticas à proposta por, ao invés de dar mais autonomia à mulher com relação ao próprio corpo, dificultar ainda mais a prática do aborto legal e seguro como é feito em boa parte do mundo.

Confira parte da repercussão.