24 de agosto de 2018, 17h13

Bolsonaro afirma que vai condecorar quem reagir a tentativas de assalto

Ele voltou a dizer que, em caso de vitória na eleição, vai incentivar a reação armada a invasões de terras por movimentos sociais, como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)

Foto: Beto Oliveira/Agência Câmara

Jair Bolsonaro PSL), candidato à presidência da República, continua colecionando polêmicas por onde passa para fazer campanha. Em visita ao município de Jaci, no interior de São Pau,o, ele prometeu, nesta sexta-feira (24), que, caso seja eleito, vai distribuir condecorações por “ação de bravura” policiais civis e militares e, também, cidadãos, que reagirem a tentativas de assaltos. Segundo informações de Marcos Lavezo, do G1, o deputado federal afirmou que vai assegurar retaguarda jurídica para que quem reagir não seja processado.

“Vamos buscar retaguarda jurídica, não só para nossos policiais civis e militares, mas para o cidadão de bem também poder reagir à tentativa de alguém surrupiar seu patrimônio ou atentar contra sua vida. Ele poderá reagir e não será processado, muito pelo contrário, será condecorado por ação de bravura”, disse à população local.

Ele voltou a dizer que, em caso de vitória na eleição, vai incentivar a reação armada a invasões de terras por movimentos sociais, como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). “Temos um potencial enorme para ser utilizado, devemos proteger o trabalhador rural das invasões do MST. A invasão de propriedade quer seja rural, quer seja urbana, tem que ser repelida com uso da força”, disparou o candidato do PSL.