20 de novembro de 2018, 15h30

Bolsonaro anuncia deputado investigado por tráfico de influência para o Ministério da Saúde

Luiz Henrique Mandetta é investigado em inquérito que apura crime da Lei de Licitações e tráfico de influência quando era secretário de Saúde de Campo Grande.

Agência Câmara

O presidente eleito Jair Bosonaro (PSL) anunciou nesta terça-feira (20) o nome do deputado Luiz Henrique Mandetta (DEM/MS) para ocupar o Ministério da Saúde a partir de janeiro. O anúncio ocorreu via Twitter. “Com o apoio da grande maioria dos profissionais de saúde do Brasil, anuncio como futuro Ministro da Saúde, o Doutor Luiz Henrique Mandetta”.

Luiz Henrique Mandetta é investigado em inquérito que apura crime da Lei de Licitações e tráfico de influência.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Segundo a coluna de Lauro Jardim, no jornal O Globo, o inquérito investiga se a contratação do Consórcio Telemídia & Technology e da empresa Alert Serviços de Licenciamento de Sistemas de Informática para a Saúde, quando Mandetta era secretário de Saúde, ocorreu em troca de favores pessoais relativos à sua campanha de 2010.

O caso estava no STF, mas desceu para a Justiça Federal no Mato Grosso do Sul em setembro.

DEM no governo
Mandetta será o terceiro ministro do DEM no governo Bolsonaro. Além dele, já foram anunciados Onyx Lorenzoni (DEM-RS) para a Casa Civil e Tereza Cristina (DEM-MS) para a Agricultura.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Médico e ex-secretário de Saúde de Campo Grande, Mandetta está no segundo mandato de deputado federal e não disputou as eleições deste ano. O futuro ministro compartilha com Bolsonaro críticas em relação ao programa Mais Médicos, criado em 2013 durante o governo de Dilma Rousseff.

“O governo entregará o bisturi para operar a sua mãe, o seu filho, a uma pessoa que não comprovará o seu conhecimento na área de medicina. E cria dois tipos de brasileiros, porque esses médicos a quem ele dará o bisturi não podem trabalhar no Sírio-Libanês, não podem trabalhar no Copa-D’Or. Eles podem trabalhar no Acre, no Amazonas, na periferia, no Nordeste, no Maranhão”, declarou Mandetta em 2013.

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais