11 de outubro de 2018, 07h52

Bolsonaro diz que Datafolha prepara terreno para fraude: “o que eu fiz para não ter mais votos?”

Ao lado do dono da Havan, militar da reserva analisa números que, na verdade, são da pesquisa Big Data/Veja, faz contas incoerentes e acusa o Datafolha de preparar terreno para fraude nas eleições.

Reprodução/Twitter

Em um vídeo divulgado em seu Twitter na madrugada desta quinta-feira (11), o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, menospreza o resultado da pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira (10) e diz que o “instituto prepara terreno para possível fraude”. “Olhe Supremo Tribunal Federal, TSE o que vai acontecer no Brasil. Será que o pessoal vai aceitar uma fraude. Que motivo eu dei, que eu fiz para não ter mais votos?”

Ao ser informado incorretamente que ele ficou com “54% e Haddad com 46%” – números que, na verdade, se referem à pesquisa Big Data, encomendada pela revista Veja – o militar da reserva dá uma gargalhada. “Estão acertando as pesquisas para possível fraude. Só pode ser”, diz.

Ao lado do empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan – que foi obrigado pela Justiça do Trabalho a publicar um vídeo dizendo que o voto é livre, após coagir funcionários a votarem no militar -, Bolsonaro faz contas simplistas para detectar onde Haddad teria subido.

“Subiu 16%. E quais seriam os 16%. Vamos pegar os 10% do Ciro, que muita gente não vai votar em mim, 1% do Boulos…”, neste momento há um corte de edição no vídeo, que é retomado com Hang dizendo que “não vê ninguém que não vai votar no Bolsonaro”.

O empresário ainda faz terrorismo com o sistema eleitoral brasileiro, bem ao modo dos vídeos que fez com seus funcionários – e que foram proibidos pela Justiça. “Estamos com problemas no país. Eu ando na rua e tá todo mundo apavorado não acreditando nas urnas eletrônicas. E isso é muito sério.”

Assista.