09 de janeiro de 2019, 20h53

Bolsonaro já recuou hoje? Página reúne as ‘trapalhadas’ quase que diárias do novo governo

Livros didáticos, reforma agrária, base norte-americana, médicos cubanos, demarcação de terras indígenas, imagens sacras no palácio... Saiba quais foram as medidas que o governo Bolsonaro anunciou e, horas depois, recuou

Reprodução

Desde que assumiu, em 1 de janeiro, o presidente Jair Bolsonaro vem estampando as manchetes da imprensa mais pelos seus “recuos” do que pelos seus planos de governo.

Inúmeras medidas que foram anunciadas por ele mesmo ou por ministros têm sido revogadas ou anuladas em um intervalo de poucos dias ou até mesmo de horas.

Somente nesta quarta-feira (9) foram dois recuos: um com relação à paralisação da reforma agrária e outro às mudanças nos livros didáticos. Fernando Haddad (PT), que concorreu com Bolsonaro nos segundo turno da eleição presidencial, ironizou. ” Bozo recua em menos de 24h. Recorde!”, escreveu o petista em seu Twitter.  E não é a primeira piada que Haddad fez sobre os mandos e desmandos do novo governo. Na terça-feira (8), ao comentar o “recuo” por parte do governo com relação à base norte-americana no Brasil, o ex-prefeito disparou: “Antes de defender uma bozoideia, espere 24h. Poupa o esforço de defender o recuo”.

Após os dois recuos de hoje, uma página do Facebook chamada “O Bolsonaro já recuou hoje?” ganhou destaque. Diariamente, desde o período de transição, são feitas postagens ironizando o presidente. Os recuos vão desde a retirada das obras de arte sacra do Palácio do Alvorada até a procura por médicos cubanos remanescentes no Brasil.

Confira aqui.