15 de outubro de 2018, 17h57

Bolsonaro quer que o Brasil volte a ser como há 40 ou 50 anos

Em entrevista concedida na tarde desta segunda-feira (15), o presidenciável do PSL afirmou que o objetivo de seu governo é fazer o Brasil ser "igual 40, 50 anos atrás" - isto é, como era nas décadas de 60 e 70, durante a ditadura militar

Reprodução/Rede Globo

O candidato do PSL à presidência, Jair Bolsonaro (PSL), voltou a trazer à tona seu saudosismo pela ditadura militar na tarde desta segunda-feira (15). Em entrevista à Rádio Jornal, de Barretos (SP), o militar da reserva disse que o objetivo de seu governo é que “o Brasil volte a ser igual 40, 50 anos atrás”. Isto é, como nas décadas de 70 e 60.

A fala se deu em um momento que Bolsonaro falava sobre a questão da segurança. Inúmeros estudos apontam, no entanto, que a violência urbana explodiu no período da ditadura militar por conta da intensificação da guerra às drogas. Isso sem falar do estado de exceção que prendia, assassinava e torturava opositores ao regime.

Na mesma entrevista, o candidato do PSL defendeu o encarceramento e disse que o objetivo da cadeia não é “recuperar”, mas sim “tirar o elemento da sociedade”.

Debates, não; agenda a todo o vapor

Bolsonaro, apesar de ter se recusado a participar dos debates eleitorais com Fernando Haddad (PT), tem intensificado sua agenda de campanha. Antes da visita a Barretos (SP), onde concedeu a entrevista, o presidenciável esteve, pela manhã, no Rio de Janeiro, onde visitou a sede do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar.