05 de dezembro de 2018, 15h25

Brancos ganharam 72,5% a mais em 2017 do que pretos ou pardos, diz IBGE

Enquanto uma pessoa branca teve rendimento médio de R$ 2.615 no ano passado, um negro (soma da população preta e parda) recebeu R$ 1.516

Negros ganham quase metade do que brancos (Imagem: Divulgação)

De acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), divulgados nesta quarta-feira (5), que tomam como base informações da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua, um trabalhador branco recebeu, em média, 72,5% a mais do que um profissional preto ou pardo em 2017.

Enquanto uma pessoa branca teve rendimento médio de R$ 2.615 no ano passado, um negro (soma da população preta e parda) recebeu R$ 1.516.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Os. O levantamento não apresenta resultados para amarelos (pessoa que se declara de origem japonesa, chinesa, coreana etc.), indígenas ou sem especificação.

O termo “preto”, que costuma ser criticado nas redes sociais como supostamente preconceituoso, é a terminologia oficial da pesquisa do IBGE. O grupo mais genérico de “negros” reúne as cores específicas, “preta” e “parda”, explica o instituto.

Na comparação por sexos, a desigualdade persiste, mas em menor grau. Em 2017, os homens tiverem renda média de R$ 2.261, enquanto as mulheres receberam R$ 1.743. Isso significa que os homens ganharam 27,9% a mais do que as mulheres.

Com informações do IBGE

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais

 


#tags