Imprensa livre e independente
15 de setembro de 2018, 14h33

Brasil do golpe tem IDH pior que o da Venezuela

O Brasil do golpe registrou um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) pior que o da Venezuela. De acordo com o ranking 2018 compilado pela ONU (Organização das Nações Unidas), o País aparece estagnado na posição 79, enquanto a Venezuela aparece na 78. Sendo assim, o Brasil foi categorizado como de “alto desenvolvimento humano”, que é o segundo escalão desse ranking. Na categoria em que o Brasil está enquadrado, podemos encontrar países como Cuba, China e Colômbia. Nos três primeiros lugares da lista estão Noruega, Suíça e Austrália. Eles estão entre os 59 países do topo, que são considerados de “muito...

O Brasil do golpe registrou um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) pior que o da Venezuela. De acordo com o ranking 2018 compilado pela ONU (Organização das Nações Unidas), o País aparece estagnado na posição 79, enquanto a Venezuela aparece na 78.

Sendo assim, o Brasil foi categorizado como de “alto desenvolvimento humano”, que é o segundo escalão desse ranking. Na categoria em que o Brasil está enquadrado, podemos encontrar países como Cuba, China e Colômbia.

Nos três primeiros lugares da lista estão Noruega, Suíça e Austrália. Eles estão entre os 59 países do topo, que são considerados de “muito alto desenvolvimento humano”.

O grupo que está abaixo do Brasil é o de “médio desenvolvimento humano”, que compila as nações que estão entre a posição 113 e 151. Entre eles estão Congo, Gana e Quênia, por exemplo.

O pior índice fica com países como Nigéria, Ruanda e Etiópia, que estão no “baixo desenvolvimento humano” e ocupam da 152 posição até a 189.

No levantamento referente a 2010, último ano do governo Lula, o Brasil estava na 73ª posição entre 169 países no ranking do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano).

Veja também:  Filho de Bolsonaro, o presidente que chama estudantes de ‘idiotas’, comete mais um erro crasso no Twitter

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum