ASSISTA
06 de outubro de 2016, 14h22

Brasil elegeu apenas 32 vereadoras negras em 2016

As eleições municipais de 2016 elegeram, nas 5.570 cidades brasileiras, apenas 32 mulheres negras como vereadoras, segundo INESC e TSE.

“Política é branca, masculina e proprietária”, diz estudo

Por Matheus Moreira

As eleições municipais de 2016 surpreenderam desde que as primeiras candidaturas começaram a ser oficializadas. Com reviravoltas e o cenário político conturbado, o primeiro turno já passou e o ano apresenta poucos sinais de que vai acabar bem para a representatividade política de minorias.

A pesquisa feita pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos, INESC, mostra que das 465.446 mil candidaturas em todo Brasil, apenas 14,2% eram de mulheres (156.317 mil) e que, dessa parcela, se elegeram apenas 0,3%, o que representa 638 prefeitas. Foram eleitas, ainda, 4,66% do total como vereadoras, chegando a 7.818 eleitas.

O recorte, infelizmente, não para por aí. Das mulheres prefeitas no Brasil, nenhuma é preta, e das 7.818 vereadoras, apenas 32 são negras nas capitais do país.

Ao todo, 9 capitais não elegeram nenhuma mulher preta ou parda como vereadora:

  • São Luís
  • Recife
  • Campo Grande
  • Cuiabá
  • Curitiba
  • Porto Alegre
  • Florianópolis
  • Aracaju
  • São Paulo

Observe a relação entre gênero e raça no resultado das eleições deste ano nas Câmaras Legislativas do Brasil no infográfico abaixo, de Luciana Guedes, responsável pelo tratamento de dados do TSE. Repare que apenas 1 homem indígena foi eleito vereador em todo o território:

 

 

Em suma, 62% dos prefeitos eleitos no primeiro turno são homens brancos, 24% homens pardos e 2% homens pretos, enquanto nenhum homem indígena foi eleito. Em se tratando das mulheres, a sub-representatividade é alarmante: 8% das prefeitas eleitas são brancas, enquanto 3% são pardas e nenhuma é preta ou indígena. Ainda estão disputando o segundo turno 7 mulheres pretas e 2 homens pretos. Veja abaixo, no infográfico de Luciana Guedes:

 

 

No Brasil, das 5.570 prefeituras, apenas 5 receberão em janeiro de 2017 um prefeito homem e indígena. São elas: Jacundá (PA), Lajedo (PE), Marechal Thaumaturgo (AC), Taracatu (PE) e São Gabriel da Cachoeira (AM). Confira abaixo a proporção:

 

 

Leia também

Mulheres negras não chegam a 1% do total de candidaturas para prefeito nas eleições de 2016

Foto: Arte de Vitor Teixeira