Imprensa livre e independente
13 de setembro de 2018, 12h07

Campanha busca um “SPC de Marina” para conter queda nas pesquisas

Assessores dizem que ela precisa agora de um “SPC”, ou seja, uma marca forte para a campanha, fazendo referência a um dos principais pontos defendidos por Ciro Gomes

Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil
O sinal amarelo acendeu na campanha de Marina Silva (Rede), após a candidata sofrer uma queda de até cinco pontos percentuais nas últimas pesquisas de intenção de votos para a presidência. Seus assessores dizem que ela precisa agora de um “SPC”, ou seja, uma marca forte para a campanha, fazendo referência a um dos principais pontos defendidos por Ciro Gomes (PDT), que é tirar 63 milhões de brasileiros do cadastro do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) de maus pagadores. “A Marina está cheia de propostas excelentes, mas são um pouco amplas demais e nenhuma está emplacando entre a população....

O sinal amarelo acendeu na campanha de Marina Silva (Rede), após a candidata sofrer uma queda de até cinco pontos percentuais nas últimas pesquisas de intenção de votos para a presidência.

Seus assessores dizem que ela precisa agora de um “SPC”, ou seja, uma marca forte para a campanha, fazendo referência a um dos principais pontos defendidos por Ciro Gomes (PDT), que é tirar 63 milhões de brasileiros do cadastro do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) de maus pagadores.

“A Marina está cheia de propostas excelentes, mas são um pouco amplas demais e nenhuma está emplacando entre a população. Ela tem falado muita coisa, mas a mensagem não está ficando. Assim como o Ciro tem [a proposta do] SPC, o [Jair] Bolsonaro tem a questão da segurança pública e o [Fernando] Haddad tem o Lula com o discurso de geração de renda e emprego por trás, a Marina precisa ter uma marca para chamar de sua”, relatou um interlocutor.

“Nós já temos vários pontos fortes, como o desenvolvimento sustentável, a vontade de se fazer uma nova política, o fato de ela ser uma candidata extremamente democrática, de não defender uma economia estatista nem extremamente liberal. O que queremos agora é mostrar o conjunto da obra, ressaltar a história dela, mostrar as propostas para essa área social. Precisamos aprimorar o alcance da fala da Marina para mostrar para mais gente”, disse outro aliado.

Veja também:  Quem está para se aposentar com R$2,3 mil pode receber R$1,7 mil se “Nova Previdência” for aprovada

Leia a matéria completa no UOL

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum