18 de setembro de 2018, 16h56

Candidata a deputada pelo PSL faz ato para provocar Haddad e candidato minimiza

"Manifestação é normal", disse Haddad ao minimizar um ato de apoiadores de Bolsonaro em frente ao sindicato em que foi recebido em Itajaí (SC); uma das agitadoras do protesto, candidata a deputada federal pelo PSL, convocou "reforços" para receber Haddad chamando o candidato petista de "bandido"

Reprodução

Fernando Haddad, candidato à presidência pelo PT, foi recebido no início da tarde desta terça-feira (18) por dirigentes e trabalhadores do Sindicato dos Armadores e da Indústria da Pesca de Itajaí e Região (Sindipi), onde recebeu demandas e firmou compromissos com o setor.

O ato com os profissionais da área seria realizado no auditório do sindicato, mas teve que ser transferido para um gabinete, a portas fechadas, por conta de provocações de apoiadores do candidato Jair Bolsonaro (PSL), que realizaram uma manifestação do lado de fora do prédio do sindicato – alguns deles chegaram a entrar no auditório.

A Polícia Militar fez um cordão de isolamento e não foram registradas agressões físicas.

De dentro do gabinete, onde Haddad concedeu entrevista coletiva, era possível ouvir os manifestantes do lado de fora. Eles gritavam “mito”, em referência à Bolsonaro, e frases de ordem, como “a nossa bandeira jamais será vermelha”. O candidato do PT, no entanto, não caiu nas provocações e minimizou. “Estamos evitando todo tipo de situação que cause risco. Manifestação é normal. Vamos proceder assim, sempre garantindo o direito das pessoas de se manifestarem, sem que haja risco para ninguém”, disse.

De Itajaí o candidato do PT seguiu para a capital Florianópolis, onde participará de mais um ato de campanha.

Candidata a deputada agita provocação 

Uma das agitadoras da manifestação de apoiadores de Jair Bolsonaro é Dileta Corrêa Silva, candidata a deputada federal pelo partido do militar da reserva.

Em sua página do Facebook, Dileta fez transmissões ao vivo convocando “reforço” de eleitores de Bolsonaro para o protesto contra a presença de Fernando Haddad na cidade.

Em uma das postagens, a candidata escreveu: “Vamos recepcionar Haddad em Itajaí daqui a pouco. Bandido não é bem vindo em Santa Catarina. Vai ter live” – a postagem terminava com um emoji que lembra o gesto que Bolsonaro costuma a fazer com as mãos imitando uma arma.

Reprodução/Facebook