07 de outubro de 2014, 15h50

Candidato que agrediu eleitora foi o menos votado em Alagoas

Vídeo mostra Conorel Brito dando um tapa no rosto de uma mulher, depois de várias pessoas reclamarem por ele ter furado a fila na votação de domingo (5)

Por Redação

O candidato ao Senado de Alagoas pelo PEN, Coronel Brito, teve o pior resultado entre os seus concorrentes, obtendo 1.922 votos, o que corresponde a 0,16% dos votos válidos. Quem garantiu a vaga foi Fernando Collor de Mello, com 689.266 votos (55,69%). O coronel protagonizou uma das cenas mais chocantes do último domingo (5), ao agredir uma eleitora durante votação na Escola de Ensino Fundamental Padre Pinho, em Maceió.

A médica Maria Celeste Oliveira, de 39 anos, contou ter levado um tapa e uma cotovelada, ao tentar impedir que um idoso fosse preso por reclamar que o candidato havia furado a fila. Ela disse que, após votar, Brito teria retornado com quatro policiais para dar voz de prisão ao senhor, quando todos em volta passaram a ir contra o que consideraram uma arbitrariedade. Um vídeo gravado por uma testemunha mostra claramente o momento da agressão. Depois do episódio, o coronel saiu depressa do local, rodeado por assessores.

A presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AL), a desembargadora Elisabeth Carvalho do Nascimento, chegou a determinar a prisão de Brito, mas ele ainda não se apresentou. Por meio de uma nota à imprensa, a Polícia Militar informou que já tomou conhecimento dos fatos e que tomará as medidas cabíveis.

Foto de capa: Reprodução/YouTube