12 de fevereiro de 2019, 15h15

Carnaval deste ano já tem samba: “Mourão, Mourão, catuca por baixo que ele vai”

Composto em 1949, "General da Banda" parece uma sátira política para os dias de hoje

Foto: Arquivo Nacional
Ele foi composto há 70 anos, mas parece que foi feito para o carnaval de 2019. O samba “General da Banda” (Satyro de Melo, Tancredo da Silva Pinto e José Alcides), gravado por vários intérpretes, mas imortalizado mesmo por Blecaute, cai como uma luva na situação política atual, onde a imprensa parece conspirar para que o vice-presidente, o general Hamilton Mourão assuma a presidência no lugar de Jair Bolsonaro. Gravada em 1949, a música foi o maior sucesso do carnaval de 1950. Inspirado num ponto de macumba, o samba tem versos estranhos: “Mourão, mourão, vara madura que não cai / Mourão,...

Ele foi composto há 70 anos, mas parece que foi feito para o carnaval de 2019. O samba “General da Banda” (Satyro de Melo, Tancredo da Silva Pinto e José Alcides), gravado por vários intérpretes, mas imortalizado mesmo por Blecaute, cai como uma luva na situação política atual, onde a imprensa parece conspirar para que o vice-presidente, o general Hamilton Mourão assuma a presidência no lugar de Jair Bolsonaro.

Gravada em 1949, a música foi o maior sucesso do carnaval de 1950. Inspirado num ponto de macumba, o samba tem versos estranhos: “Mourão, mourão, vara madura que não cai / Mourão, mourão, oi catuca por baixo que ele vai”.

Blecaute ficou tão ligado à composição que passou a se apresentar desde então com uma colorida fantasia de “General da Banda”, cheia de alamares e dragonas.

O samba foi gravado também por Linda Batista, Astrud Gilberto, Elis Regina, Ney Matogrosso entre outros.

Com informações do livro A Canção no Tempo – Volume 1, de Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello, da Editora 34.


#tags