02 de outubro de 2018, 19h55

Cartas do Pai: “A melhor arma é o voto”

Pai, você criou o “Diretas Já!”, mas nunca votou pra presidente. Você ajudou a gente a poder votar novamente, e mais uma vez eu vou votar por você

Foto: Arquivo Pessoal

Rio de Janeiro, 02 de outubro de 2018

Pai,

Esta semana estava conversando com uma pessoa que acha que os governos de esquerda é que acabaram com o país. Gosto de conversar com essas pessoas para saber o que pensam, por que acham isso. Nessa conversa, me falou que a crise foi causada pela esquerda, já falava isso tem tempo pra mim.

Perguntei quando as coisas pioraram, e a resposta foi: “Desde 2015!”.

Pois é, pai!

Foi exatamente quando começaram a tramar a crise, conforme o Tasso Jereissati assumiu há poucos dias. Eles boicotaram o governo, votando contra até o que eles mesmos defendiam, só pra criar a crise. O “Mineirinho” falou que ia fazer isso quando perdeu as eleições.

Resumindo, estava tudo bom quando a esquerda estava no poder, e depois que ela saiu ficou tudo ruim.
Acho que nem precisa desenhar, né?

Quero que aquele Brasil, que era respeitado no mundo inteiro, seja realidade de novo!

Quero ver filho de empregada virando doutor!

Quero ver filho de pedreiro na universidade!

Quero ver pobre nos aeroportos!

Operário passeando pela Europa!

Eu quero um professor como presidente do Brasil!

Pai, você criou o “Diretas Já!”, mas nunca votou pra presidente.

Você ajudou a gente a poder votar novamente, e mais uma vez eu vou votar por você.

Quero meu Brasil feliz de novo!

Um voto do seu filho,

Ivan