13 de fevereiro de 2018, 19h43

Cartas do Pai: “Conscientizar o povo é crime contra quem quer roubar”

Duas escolas mereciam ponto extra: a Beija Flor e a Paraíso do Tuiuti, que apesar de não ter a história que muitas outras têm, deu aula na avenida

Rio de Janeiro, 13 de Fevereiro de 2018.

Pai,

Tá acabando mais um Carnaval e a gente ouve sempre que se essa gente toda fosse pras ruas lutar pelos seus direitos, o país mudava!
Mas de vez em quando acontece alguma coisa. Nos blocos e inclusive nos desfiles das escolas de samba. Menos do que a gente queria, mas acontece.

Durante a ditadura era mais complicado, mas algumas escolas protestaram na avenida. Aí apagavam a luz, cortavam o som, mas elas protestavam!

Tinha um tempo que isso não acontecia. Escolas famosas por fazerem protestos não faziam mais e confesso que estava sentindo falta!
Escolas de samba, que surgiram nos morros, feitas por moradores humildes, não podiam deixar de lado a defesa dos direitos dessas pessoas. Devia ser obrigatório, que nem a ala das baianas, o Mestre Sala e Porta Bandeira, a comissão de frente…

Taí! Item de julgamento. Não teve protesto dentro do enredo, perde ponto!

E este ano a maioria iria perder ponto, viu pai!
Agora, duas escolas mereciam ponto extra: a Beija Flor e a Paraíso do Tuiuti, (que apesar de não ter a história que muitas outras têm, deu aula na avenida, não só denunciando, mas alertando também as pessoas para não serem mais manipuladas). Fantoche da FIESP nunca mais!
Esperando pra ver de que maneira vão conseguir punir essas duas escolas. Afinal, conscientizar o povo é crime contra quem quer roubar.
O importante é continuarmos com nosso bloco na rua o ano todo.

Um beijo do seu filho folião!

Ivan