23 de outubro de 2018, 23h39

Cartas do Pai: “Ditadura: nunca mais!”

Em um ato, o Coiso já prometeu que quem for contra o governo dele, vai ser preso ou vai ter que sair do Brasil. Mas ele não ganhou nada ainda e tem muita gente lutando pela democracia. Vamos virar este jogo!

Rio de Janeiro, 23 de outubro de 2018

Pai,

Esta é a última carta antes das eleições.

Todo mundo muito preocupado e tenso, pois podemos voltar 50 anos no tempo. Voltar para o Brasil que você ajudou a acabar. Aquele Brasil da censura, do medo de se expor ideias (só se forem contrárias ao governo).

Aquele Brasil que fechou o Congresso e que expulsou um monte de brasileiros. E os que ficaram foram perseguidos, presos, torturados e muitos foram mortos.

Nossa família sofreu muito com isso. Você foi censurado e ameaçado. Duas tias e um tio meu (seus cunhados) foram presos e torturados. Seu irmão teve que sair do país.

Ele chama quem era contra a ditadura de bandidos. O tio Betinho foi indicado para o Prêmio Nobel da Paz por causa da Campanha Contra a Fome! Que bandido, bom né!

E agora apareceu um vídeo do filho do Coiso, ameaçando fechar o STF, caso houvesse alguma decisão contra eles. Crime federal! E olha que o pai dele fala que “bandido bom é bandido morto”. Mas quando o bandido é o filho dele, um pedido de desculpas parece que é o suficiente. Pediu para dar o caso como encerrado. Ué? Não entendi!

Disse que o filho é apenas um garoto, tem que ser desculpado. Mas ele defende que a maioridade seja de 16 anos, e o “garoto” dele tem 34. Coerência não é o forte dele.
Em um ato, o Coiso já prometeu que quem for contra o governo dele, vai ser preso ou vai ter que sair do Brasil.

Mas ele não ganhou nada ainda e tem muita gente lutando pela democracia. Vamos virar este jogo!

Virar por você, pelo Herzog, pela tia Gilse, pelo Betinho e tantos outros que combateram a ditadura.

Um beijo do seu filho,

Ivan