16 de outubro de 2018, 20h50

Cartas do Pai: “Quem educa, não mata!”

Não quero um matador na presidência, quero um educador, um que ensine a gente a crescer, que incentive o conhecimento. Com menos armas, e mais livros! Menos violência, e mais educação!

Foto: Arquivo Pessoal

Rio de Janeiro, 16 de outubro de 2018

Pai,

Ontem foi dia dos professores. Ô profissão bonita…

Ensinar o que aprendeu e fomentar o conhecimento de seus alunos. Formar novos profissionais! Que beleza, né!

Mas é uma profissão muito pouco valorizada, a maioria ganha muito pouco. E vai piorar mais, já que os investimentos em educação foram congelados por 20 anos! Este congelamento foi aprovado com voto de um deputado que está tentando ser presidente. E se ele assumir, já falou que quer implementar o ensino à distância. Aí que vai piorar de vez! Já imaginou o tanto de professor desempregado no Brasil todo?

Além de piorar a educação, vai aumentar o desemprego. O deputado que diz que sua especialidade é matar, agora vai deseducar também!

Se o pessoal achou que com o Temer estava ruim, estamos vendo que pode piorar ainda mais.
Matar pessoas, matar a educação e vai matar até a única oportunidade que muitas dessas crianças tinham de fazer sua única refeição do dia, na escola.

Enquanto muitos países e educadores defendem um ensino em horário integral, aqui vai ser em horário nenhum.

Não quero um matador na presidência, quero um educador, um que ensine a gente a crescer, que incentive o conhecimento.

Com menos armas, e mais livros!

Menos violência, e mais educação!

Já viu que beleza, pai, um professor como presidente do Brasil!?

Um beijo do seu filho e aluno.

Ivan