Imprensa livre e independente
11 de outubro de 2018, 18h46

Cartazes com “Morte à negrada” e “Bolsonaro presidente” são encontrados em Porto Alegre

Os cartazes foram encontrados por servidores públicos do Departamento Municipal de Águas e Esgotos (DMAE), no bairro Menino Deus, capital gaúcha

Foto: Reprodução/Twitter As manifestações de ódio envolvendo apoiadores de Jair Bolsonaro não param. Além de agressões físicas e verbais, os eleitores do militar produzem materiais que incitam à violência e, portanto, são contra a lei. Circula nas redes sociais uma foto, na qual aparecem dois cartazes com mensagens racistas e nazistas. Em um deles é possível ver a imagem de uma suástica, símbolo máximo do nazismo, com as seguintes dizeres: “Morte à negrada. Bolsonaro presidente!”. Ao lado, outro cartaz com o desenho de um revólver, com a mesma frase. Segundo as postagens nas redes sociais, os cartazes foram encontrados por...

Foto: Reprodução/Twitter

As manifestações de ódio envolvendo apoiadores de Jair Bolsonaro não param. Além de agressões físicas e verbais, os eleitores do militar produzem materiais que incitam à violência e, portanto, são contra a lei. Circula nas redes sociais uma foto, na qual aparecem dois cartazes com mensagens racistas e nazistas.

Em um deles é possível ver a imagem de uma suástica, símbolo máximo do nazismo, com as seguintes dizeres: “Morte à negrada. Bolsonaro presidente!”. Ao lado, outro cartaz com o desenho de um revólver, com a mesma frase.

Segundo as postagens nas redes sociais, os cartazes foram encontrados por servidores públicos do Departamento Municipal de Águas e Esgotos (DMAE), no bairro Menino Deus, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Veja também:  Para cientista político, carta divulgada por Bolsonaro pode significar possibilidade de renúncia

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum