28 de maio de 2018, 23h25

Ciro no Roda Viva: “Temer é um escroque que usurpou a presidência”

"A canalhice não tem limites. Estão ferrando nossa pátria", disse o pré-candidato à presidência pelo PDT, em mais uma de suas ácidas críticas ao governo. Ciro ainda disse que, se eleito for, vai reduzir a tributação sobre os mais pobres e aumentar a dos mais ricos

Foto: Reprodução/TV Cultura
O pré-candidato à presidência Ciro Gomes (PDT), em entrevista concedida na noite desta segunda-feira (28) à jornalistas da bancada do “Roda Viva”, da TV Cultura, começou o programa pedindo a demissão do presidente da Petrobras, Pedro Parente. “Não adianta a gente aceitar que essa greve acabe nas demandas atendidas por associações e sindicatos. Eu peço publicamente a demissão deste entreguista, apátrida, que é o senhor Pedro Parente e trocar a política de preços da Petrobras. O resto é paliativo”, disparou. Entre críticas à política de preços da estatal e o tipo de relação que o governo brasileiro mantém, atualmente, com...

O pré-candidato à presidência Ciro Gomes (PDT), em entrevista concedida na noite desta segunda-feira (28) à jornalistas da bancada do “Roda Viva”, da TV Cultura, começou o programa pedindo a demissão do presidente da Petrobras, Pedro Parente.

“Não adianta a gente aceitar que essa greve acabe nas demandas atendidas por associações e sindicatos. Eu peço publicamente a demissão deste entreguista, apátrida, que é o senhor Pedro Parente e trocar a política de preços da Petrobras. O resto é paliativo”, disparou.

Entre críticas à política de preços da estatal e o tipo de relação que o governo brasileiro mantém, atualmente, com o mercado internacional, o ex-ministro disparou ainda, diretamente, contra o presidente Michel Temer. Quando perguntado sobre a atual crise, tanto econômica quanto política, e os pedidos de intervenção militar que começaram a surgir, Ciro foi direto. “Agora é trincar os dentes e segurar até a eleição. Temer é o fundo do poço, um escroque que usurpou a presidência da República. Eu conheço de perto”, afirmou. “A canalhice não tem limites. Estão ferrando nossa pátria”, disse na sequência.

Sobre as alianças que fará para as eleições, Ciro afirmou que buscará, em um primeiro momento, uma proximidade com o PSB e, em um eventual segundo turno, com o PCdoB.

Em outro momento da entrevista, o pré-candidato voltou a defender, como fez no primeiro bloco do programa, uma reforma tributária que alivie os altos impostos pagos pelos mais pobres. “O Brasil precisa sair da caixinha conservadora. Reduzir tributação sobre os mais pobres. É muito mais alta que a dos mais ricos”.

Saiba mais sobre a participação de Ciro Gomes no “Roda Viva” aqui.