Tomaz Amorim

crítica cultural e literatura

25 de março de 2019, 06h00

Bolsonaro e a falência do falo

Tomaz Amorim diz: “A imagem envelhecida, adoecida, que fala gaguejando, que tem a expressão permanente no rosto de ‘como é que eu vim parar aqui’, é o representante ideal deste falo que não funciona mais. Eis sua força de sedução. Daí se reconhecerem nele tantos homens”


+ posts

24 de janeiro de 2019, 21h53

É preciso quase amar no Méier, como Rafael Zacca

Tomaz Amorim comenta “A estreita artéria das coisas”, livro de poesia de Rafael Zacca publicado no fim de 2018 pela editora Garupa


22 de janeiro de 2019, 22h49

Sobre Necropoética e Cinema Negro com Sotaque Mineiro

O cinema negro mineiro está fazendo história.  Apesar da potência transformadora das narrativas negras no audiovisual, o tripé racismo, machismo e capitalismo continua sendo um grande obstáculo para a realização a efetiva escrita de outra história


14 de janeiro de 2019, 23h02

Dois poetas cubanos falam sobre o atual estado da poesia na ilha

Na coluna de Tomaz Amorim, os editores da antologia “Nocaute: 6 poetas/Cuba/Hoje” entrevistam os poetas cubanas José Ramón Sánchez e Oscar Cruz sobre a situação da poesia contemporânea em Cuba e suas relações, sempre intensas, com a política


07 de janeiro de 2019, 23h06

“Venham”: Senadora boliviana responde ao comentário racista de deputado carioca

Tomaz Amorim reproduz em sua coluna a resposta de uma senadora boliviana ao comentário racista feito por um deputado carioca do partido de Bolsonaro. "Tragam-no para que nós, as 'índias', o ensinemos sua própria história, tragam-no para que veja como um país de 'índios' dá aulas de humanidade, humildade, honestidade e sacrifício"


03 de janeiro de 2019, 15h43

O ridículo do falo em “O pau do Brasil”, de Wilson Alves-Bezerra

Tomaz Amorim analisa em sua coluna o livro de poesia “O pau do Brasil”, de Wilson Alves-Bezerra: “Bezerra, um mestre da citação, recorta, parodia, deforma e remonta. O que aparece é uma imagem triste, confusa e, no entanto, realista do Brasil do noticiário, do Brasil eterno em sua maldade da vez”


30 de novembro de 2018, 20h41

Que tipo de filme é “Shirkers”?

Em sua coluna, Tomaz Amorim reflete sobre o documentário “Shirkers” (2018), dirigido pela singapurense Sandi Tan, produzido pela Netflix e vencedor do prêmio de melhor direção de documentário no Festival Sundance


12 de novembro de 2018, 21h52

Mitologia Marvel

Tomaz Amorim faz uma reflexão crítica sobre as relações entre as mitologias tradicionais e a mitologia moderna do mundo Marvel inventada por Stan Lee. O texto é uma homenagem à morte do criador do Homem-Aranha, Hulk e do Thor com 95 anos de idade


29 de outubro de 2018, 15h39

“A Casa que Jack Construiu”, de Lars von Trier, e o inferno na Terra

Tomaz Amorim: “Esse thriller alegórico, com pitadas de horror, é um passeio acompanhado pelo inferno, ao modo da Divina Comédia de Dante, com a diferença fundamental de que o inferno não é mais metafísico, no além-vida, mas é bastante material, é social, é presente”


11 de outubro de 2018, 22h22

Bolsonaro e o medo branco de passar a ser tratado como negros sempre foram tratados no Brasil

Tomaz Amorim: “Agora vocês estão sentindo o medo que nós sentimos”. “Agora eu estou sentindo o que vocês sempre sentiram”. Precisamos, então, não apenas evitar o risco futuro, mas transformar drama o presente. A questão é de pele, sentir na pele, estar na pele do outro, mesmo que hipoteticamente”


06 de outubro de 2018, 11h20

Bolsonaro 2022

Tomaz Amorim, em novo texto, diz que “uma vitória de Haddad ou de Ciro no segundo turno destas eleições, com seus planos de governos de centro e suas disposições aos velhos acordões, é garantia de vitória de Bolsonaro em 2022"


05 de agosto de 2018, 17h29

Traga-me a cabeça dos racistas

Viviane Pistache faz uma crítica da peça “Traga-me a cabeça de Lima Barreto”, em cartaz no Sesc Pompeia, em São Paulo, e reflete sobre a cena contemporânea do teatro negro