06 de abril de 2018, 13h30

Com medo do efeito Lula, ACM Neto não será candidato ao governo da Bahia

Ele temia não se eleger para o Executivo estadual na disputa com o atual governador, Rui Costa (PT), que tem 65% de aprovação

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), desistiu de disputar o governo da Bahia nas próximas eleições.

Ele decidiu que não vai deixar a prefeitura nesta sexta-feira (6), data limite para que aqueles que estão no Executivo e pretendem tentar nas urnas um outro cargo se desincompatibilizem.

Ele teme não se eleger para o Executivo estadual na disputa com o atual governador, Rui Costa (PT), que tem 65% de aprovação.

No Twitter, o ex-ministro e atual secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Jaques Wagner (PT), comentou a desistência do prefeito, sem citar o nome dele.

“A gente não escala time adversário. Seguimos trabalhando com os pés no chão. Eleição é humildade e diálogo com o povo, olho no olho. Ninguém ganha ou perde na véspera. O momento é de serenidade e seguir trabalhando”, escreveu Wagner.

Pesou também na decisão do prefeito o fato de não ter conseguido atrair partidos da base aliada do governador Rui Costa (PT), como o PP e o PR. Apesar das costuras políticas feitas em Brasília, ACM Neto (DEM) não conseguiu concretizar as alianças localmente.

A desistência de Neto é um fator negativo para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que perde um palanque importante para sua tentativa de se viabilizar candidato à Presidência da República.

“Vamos ter candidato na Bahia”, disse Maia à Folha.

O plano B do DEM é, ao menos por enquanto, José Ronaldo, prefeito de Feira de Santana.

Com informações da Folha