Imprensa livre e independente
16 de agosto de 2018, 15h01

Com transferência de voto de Lula, Haddad chega a 27% em PE

Pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) mostra que Lula transfere metade dos votos para Haddad em Pernambuco

Lula e Haddad. Foto: Ricardo Stuckert
Pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), divulgada em parceria com a Folha de Pernambuco, mostra liderança do ex-presidente Lula (PT) no estado na disputa para a Presidência da República com 55% das intenções de voto. Sem Lula, Haddad já lidera em Pernambuco, segundo a pesquisa. Na segunda colocação, Jair Bolsonaro (PSL) registra 13%, seguido por Marina Silva (Rede), 7%; Ciro Gomes (PDT), 4%; e Geraldo Alckmin (PSDB), 3%. O senador Alvaro Dias (Podemos) obteve 2% das intenções, e João Amoêdo (Novo) e Vera Lúcia (PSTU) registraram 1%, cada. O levantamento também mostra grande transferência de votos de Lula para o ex-ministro Fernando Haddad (PT) quando ele é mencionado como apoiado por Lula. Nesse...

Pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), divulgada em parceria com a Folha de Pernambuco, mostra liderança do ex-presidente Lula (PT) no estado na disputa para a Presidência da República com 55% das intenções de voto. Sem Lula, Haddad já lidera em Pernambuco, segundo a pesquisa.

Na segunda colocação, Jair Bolsonaro (PSL) registra 13%, seguido por Marina Silva (Rede), 7%; Ciro Gomes (PDT), 4%; e Geraldo Alckmin (PSDB), 3%. O senador Alvaro Dias (Podemos) obteve 2% das intenções, e João Amoêdo (Novo) e Vera Lúcia (PSTU) registraram 1%, cada.

O levantamento também mostra grande transferência de votos de Lula para o ex-ministro Fernando Haddad (PT) quando ele é mencionado como apoiado por Lula. Nesse cenário, o petista aparece na frente, com 27% das menções. Marina Silva sobe para 15% das intenções de votos, em um empate técnico com Bolsonaro, 14%. Geraldo Alckmin soma 5% e Um dado que chama atenção é o percentual de votos brancos e nulos, que aumenta para 20% sem candidatura de Lula.

Realizada entre os dias 11 e 13 de agosto, por telefone, a pesquisa ouviu 800 pessoas, definindo cotas de sexo, idade, localidade, instrução e renda. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95,45%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob os números de protocolo BR-06973/2018 e PE-07336/2018.

Veja também:  Por quê lutei para Sergio Moro não ser agraciado com o título Doutor Honoris Causa da Universidade Estadual de Maringá

Renda  
No aspecto de renda, Lula tem o seu melhor desempenho entre os eleitores que recebem até dois salários mínimos, com 60% das menções. Ele também se mantém regular entre os que recebem entre dois e cinco e mais do que cinco salários mínimos, 52% e 37%, respectivamente. Bolsonaro, por sua vez, registra seu maior percentual entre os eleitores que recebem mais de cinco salários mínimos, 22%.

Considerando a ausência de Lula na disputa, Haddad herda o mesmo eleitorado do ex-presidente, com 29% entre os que recebem até dois salários e 27% entre dois e cinco salários mínimos.

Escolaridade 
No recorte por instrução, enquanto o eleitorado de Lula é maior entre os que possuem o ensino fundamental, 62%, e o ensino médio, 50%, as menções para Bolsonaro são maiores entre os eleitores com curso superior, 21%. Marina também registra mais menções entre os eleitores com superior, 11%.

No cenário com Haddad, o petista se mantem próximo de Lula, sendo 30% com ensino fundamental e 25% com o médio. Marina, por sua vez, eleva os votos dos seus eleitores com ensino médio, de 8% para 15%. Bolsonaro, que neste segundo panorama cai para a terceira colocação, mantêm mais votos entre os que têm curso superior, 25%.

Veja também:  Eduardo Bolsonaro faz campanha para regulamentar rodeio e vaquejada

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum