ASSISTA
28 de Maio de 2010, 08h44

Combinação de tecnologias é chave do Pais

Modelo agroecológico de produção deve alcançar 10 mil pequenas propriedades rurais ainda neste ano

Modelo agroecológico de produção deve alcançar 10 mil pequenas propriedades rurais ainda neste ano

Por Redação

Uma articulação de diferentes tecnologias sociais é o que garante um modelo diferenciado para agricultores familiares que buscam o sistema de Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Pais). Sem o uso de agrotóxicos o processo agrupa técnicas simples e conhecidas por comunidades rurais para cultivar canteiros com pouco dependência de insumos externos à propriedade.

Isso representa maiores oportunidades para pequenos produtores. A iniciativa foi formulada pelo engenheiro agrônomo Aly NDiaye. Nascido no Senegal, na África, ele vive no Brasil há 17 anos, onde estudou e desenvolveu a técnica. Ele conta que o objetivo era reciclar nutrientes e reunir culturas que, normalmente, são separadas. (clique aqui para ler uma entrevista de NDiaye)

Caixas d‘água são instaladas na propriedade rural para garantir a irrigação por gotejamento nos canteiros, um dos métodos que permitem melhor aproveitamento da água. A própria gravidade leva o recurso hídrico das caixas para a terra, evitando despesas com bombas e perdas com evaporação elevada, típicas de sistemas de aspersão.

Aves e pequenos animais – caprinos ou bovinos – são parte do sistema. Em vez de deixar galinheiros e o gado distantes das hortas, aves e outros bichos são criados em áreas bem próximas aos locaisonde crescem hortaliças, frutas e raízes. Isso garante que resíduos sejam usados para garantir humus e outros tipos de adubação orgânica. Sem usar insumos como fertilizantes, herbicidas e pesticidas sintetizados pela indústria química, a maior despesa dos agricultores é evitada.

Outro princípio é o de variar a lavoura. Com variedades diferentes cultivadas no mesmo espaço, os nutrientes do solo são aproveitados ao máximo, sem risco de esgotamento, como ocorre em áreas onde prevalece, por muito tempo, a monocultura. Também há uma ampla vantagem relacionada ao controle de pragas, já que a diversificação restringe a proliferação de lagartas e insetos, por exemplo, que encontrariam farta alimentação em uma área com apenas um tipo de planta.

Na produção de raízes – como mandioca, nhame e cará – o modelo agroecológico já demonstrou que é bem sucedido em diferentes locais, com adaptações e variação de cultivo. Tanto assim que um Encontro Nacional do Pais foi realizado em Brasília (DF) para discutir os resultados e desafios que permanecem para o modelo de produção.

Comercialização

Um dos obstáculos é a comercialização. Isso porque, para garantir o acesso a mercados, é preciso haver associação entre agricultores donos de diferentes propriedades em cooperativas, por exemplo. “A primeira meta do PAIS foi trabalhar a questão da segurança alimentar e gerar renda”, afirmou o gerente da Unidade de Agronegócios do Sebrae, Paulo Alvim, durante o Encontro. “O próximo desafio é verificar como o produtor vai gerenciar seu negócio e criar estratégias de comercialização para escoar a produção”, completa.

De acordo com Alvim, o Sebrae tem contribuído para levar o programa a países da América Latina e da África. Bolívia, Paraguai e Venezuela foram nações vizinhas a receber, em pequenas propriedades, o sistema. No continente africano, os lusófonos Angola, Moçambique e Cabo Verde também já veem o método sustentável funcionar.

A estratégia de desenvolvimento local é uma das mais reaplicadas no Brasil com apoio da Fundação Banco do Brasil, com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e de diferentes ministérios. De 2005 a 2009, 6 mil unidades do Pais foram estabelecidas em 251 municípios de 19 estados. A meta é alcançar 10 mil até dezembro deste ano.

___________________________________________________

Pais

Composto por canteiros circulares (para o cultivo de hortaliças), um galinheiro (com capacidade para dez aves) e o quintal agroecológico (voltado a culturas perenes), o Pais conta com irrigação é feita por sistema de gotejamento. A adubação é sem produtos químicos. Para uma família de cinco pessoas, é necessário um terreno com cerca de 5 mil metros quadrados para a implantação do sistema. Cada unidade tem o custo aproximado de R$ 8,8 mil, incluindo dois anos de assistência técnica.

Assista um documentário sobre o Pais em operação

Clique aqui para conhecer cartilhas e manual do Pais

Clique aqui para baixar mais materiais explicativos