Imprensa livre e independente
09 de setembro de 2015, 14h15

Conheça o ‘La voz de la Mujer’, jornal feminista argentino do século XIX

Um site disponibilizou, de forma gratuita, o download de um compilado das edições do histórico periódico anarco-feminista que circulou entre 1896 e 1897 na Argentina; "Ni dios, ni patrón, ni marido", dizia o lema do jornal. Baixe aqui

Um site disponibilizou, de forma gratuita, o download de um compilado das edições do histórico periódico anarco-feminista que circulou entre 1896 e 1897 na Argentina; “Ni dios, ni patrón, ni marido”, dizia o lema do jornal. Baixe aqui Por Redação O blog ANA (Agência de Notícias Anárquicas) disponibilizou para download, esta semana, um compilado com a reprodução de boa parte das edições do jornal argentino anarco-feminista “La voz de la Mujer”, que circulou entre 1896 e 1897. As publicações do jornal eram, em geral, artigos que faziam críticas ao estado e às instituições e que convocavam as mulheres a se...

Um site disponibilizou, de forma gratuita, o download de um compilado das edições do histórico periódico anarco-feminista que circulou entre 1896 e 1897 na Argentina; “Ni dios, ni patrón, ni marido”, dizia o lema do jornal. Baixe aqui

Por Redação

O blog ANA (Agência de Notícias Anárquicas) disponibilizou para download, esta semana, um compilado com a reprodução de boa parte das edições do jornal argentino anarco-feminista “La voz de la Mujer”, que circulou entre 1896 e 1897.

As publicações do jornal eram, em geral, artigos que faziam críticas ao estado e às instituições e que convocavam as mulheres a se rebelarem contra o patriarcado e toda e qualquer forma de opressão – sem abandonar, contudo, a “luta proletária”

“Ni dios, ni patrón, ni marido” (em português, ‘nem deus, nem patrão, nem marido’), dizia o lema da publicação.

Faça aqui o download das edições.

Veja também:  Jean Wyllys vai processar Ratinho por Fake News

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum