08 de novembro de 2018, 21h51

Conhecido como o ‘homem da mala’, Rocha Loures é liberado da tornozeleira eletrônica

O ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, que foi flagrado pela Polícia Federal, recebendo uma mala com R$ 500 mil na Operação Patmos, que seria destinada a Michel Temer, teve dispensado o uso de tornozeleira eletrônica

O juiz Jaime Travassos Sarinho, da 15ª Vara Federal de Brasília, com a concordância do Ministério Público Federal, liberou o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures do uso de tornozeleira eletrônica. Ele foi flagrado pela Polícia Federal (PF) recebendo uma mala com R$ 500 mil na Operação Patmos, investigação baseada na delação premiada da JBS. O dinheiro seria destinado a Michel Temer.

Rocha Loures chegou a ser preso pela Polícia Federal no ano passado. Ao ser solto, também em 2017, passou a usar tornozeleira por determinação da Justiça. Ao todo, ele ficou um ano e quatro meses com o equipamento. A parte do processo para Temer foi suspensa por decisão da maioria da Câmara dos Deputados.

O Ministério Público concordou com a retirada da tornozeleira, e agora caberá à Polícia Federal retirar o equipamento. Após a decisão, o advogado de Rocha Loures, Cezar Roberto Bitencourt, afirmou à TV Globo que o cliente não cometeu infração no período em que foi monitorado.

“Ele cumpriu rigorosamente as medidas cautelares, sem nenhuma infração, por mais de um ano. Como o processo está chegando ao fim, a defesa pediu a revogação. O Ministério Público concordou e o juiz decidiu revogar”, declarou.