Imprensa livre e independente
20 de abril de 2019, 14h35

Conselheiro racista do Santos FC renuncia ao cargo e se afasta do clube

Após repercussão de áudio racista, Adilson Durante Filho deixa o clube no qual era conselheiro e pede exoneração de seu cargo na prefeitura de Santos

Reprodução/YouTube
O Santos Futebol Clube divulgou em sua conta no Twitter uma nota oficial do Conselho Deliberativo, informando que o ex-secretário-adjunto de Turismo de Santos (SP) e também conselheiro do clube, Adilson Durante Filho, renunciou à função de conselheiro e do quadro de sócios da agremiação. “Na manhã deste sábado (20), o associado Adilson Durante Filho protocolou na secretaria do Egrégio Conselho Deliberativo o pedido de renúncia da função de conselheiro, triênio 2018/20, e afastamento definitivo do quadro associativo do Clube”, diz a nota. Durante Filho teve um áudio de uma conversa de Whatsapp divulgado, na quarta-feira (17), pelo programa Sucupira...

O Santos Futebol Clube divulgou em sua conta no Twitter uma nota oficial do Conselho Deliberativo, informando que o ex-secretário-adjunto de Turismo de Santos (SP) e também conselheiro do clube, Adilson Durante Filho, renunciou à função de conselheiro e do quadro de sócios da agremiação.

“Na manhã deste sábado (20), o associado Adilson Durante Filho protocolou na secretaria do Egrégio Conselho Deliberativo o pedido de renúncia da função de conselheiro, triênio 2018/20, e afastamento definitivo do quadro associativo do Clube”, diz a nota.

Durante Filho teve um áudio de uma conversa de Whatsapp divulgado, na quarta-feira (17), pelo programa Sucupira Conection, da Rádio da Vila. Ele faz inúmeras declarações racistas, entre elas, que “os pardos brasileiros são todos mau-caráter”.

A Fórum foi a primeira a divulgar o fato na internet, o que provocou uma grande repercussão nas redes sociais. No áudio, Durante diz o seguinte:

Ô Caco, vou falar uma coisa pra vocês, aqui a gente tá entre amigos, tá? Sempre que tiver um pardo, o pardo o que que é, não é aquele negão, né? Mas também não é o branquinho. É o moreninho da cor dele. Esses caras, têm que desconfiar de todos. Todos que tu conhecer. Essa cor é uma mistura de uma raça que não tem caráter. É verdade, isso é estudo. Todo pardo, todo mulato, tu tem que tomar cuidado. Não mulato tipo o Pedro. O Pedro é tipo pra índio. Tipo chileno, essas porra (SIC). Tô dizendo o mulato brasileiro, entendeu? Os pardos brasileiros são todos mau-caráter. Não tem um que não seja”.

Exoneração

Veja também:  Rodrigo Maia rompe e não negocia mais com líder do governo na Câmara

Nesta sexta (19), a prefeitura de Santos já havia informado, por meio de nota enviada à imprensa, que Durante tinha pedido exoneração de seu cargo na administração municipal.

Antes disso, na quinta (18), o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, tinha demonstrado publicamente a indignação com a postura de Durante. “Como prefeito, afrodescendente, cidadão, filho de ex-engraxate de sapato de origem humilde, manifesto, com veemência, repúdio a qualquer manifestação que defenda ou propague preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação, independentemente dos meios, circunstâncias ou período de tempo que ocorra. Sempre será e deve ser absolutamente condenada”.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum