ASSISTA
16 de dezembro de 2014, 19h24

Conselho de Ética instaura processo contra Bolsonaro

Após ser denunciado pelo Ministério Público Federal por incitação ao estupro, novo processo foi instaurado na Câmara dos Deputados.

Após ser denunciado pelo Ministério Público Federal por incitação ao estupro, novo processo foi instaurado na Câmara dos Deputados

Por Redação | Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados instaurou, nesta terça-feira (16), processo por quebra de decoro contra o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ). A medida foi motivada pelas ofensas do parlamentar à deputada e ex-ministra dos Direitos Humanos Maria do Rosário (PT-RS), no último dia 9.

Uma lista tríplice para escolher o (a) relator (a) foi sorteada, da qual fazem parte Ronaldo Benedet (PMDB-SC), Marcos Rogério (PFT-RO) e Rosane Ferreira (PV-PR). Ricardo Izar (PSD-SP), que preside o Conselho de Ética, vai dialogar com os três deputados e, posteriormente, indicar o (a) relator (a) do caso. Especula-se que deputada Rosana assuma a relatoria e se posicione a favor da ação, porém, ela não foi reeleita à próxima legislatura.

Questionou-se se o processo contra o deputado, uma vez instaurado, permanece durante a próxima legislatura. O presidente do Conselho de Ética explicou que tal decisão depende do presidente da Câmara, deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Em sua defesa, Bolsonaro declarou que os parlamentares “são invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões e votos”. Afirmou, ainda, que seus ataques à deputada Maria do Rosário foram feitos no “calor do momento”. Na última segunda-feira (15), outra denúncia contra ele, realizada, dessa vez, pelo Ministério Público Federal, foi encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF).