Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

15 de abril de 2019, 12h09

Construção de cais em área nobre de São Luís vira polêmica após deputado citar “público da classe C” no local

A obra visa garantir o transporte de passageiros 24 horas por dia, encurtando em mais de 200 quilômetros o trajeto entre São Luís, Alcântara e municípios da Baixada Maranhense

Foto: Reprodução

A construção de um cais turístico interligando a capital do Maranhão, São Luís, à cidade de Alcântara, ganhou ares de preconceito de classe após o deputado federal Edilázio Júnior (PSD-MA) citar possíveis “problemas” que poderiam ter para a região. Segundo o Governo do Estado o terminal aquaviário será construído na Península da Ponta d’Areia, área de IPTU mais caro da capital maranhense.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, em reunião com moradores do bairro, o deputado lamenta que o projeto pode levar o público da classe C para a região, além de carrinhos, vans e população da Baixada Maranhense, uma região que concentra 21 municípios de baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano).

“Eu como morador da Península não queria conviver com essa situação que vocês vão passar a ter aqui”, disse, ao citar o exemplo de sua babá, que é da cidade de São Bento, município da Baixada.

Os municípios da Baixada, alvo da fala preconceituosa de Edilázio, possuem uma economia tipicamente pesqueira, além do extrativismo vegetal do babaçu, que extrai o óleo de coco empregado para fins culinários, em cosméticos, além de ser alvo de pesquisas científicas para a fabricação de biocombustíveis.

Nesse domingo um ato “Rolezinho na Península”, na praia da Ponta d’Areia, chamou atenção para o preconceito de classe e defendeu a construção do cais na região.

Sobre o cais

A obra visa garantir o transporte de passageiros 24 horas por dia, encurtando em mais de 200 quilômetros o trajeto entre São Luís e os 21 municípios da Baixada Maranhense. Os Terminais Portuários terão cais flutuantes capazes de receber embarcações, independentemente das tábuas de marés, que atualmente só permitem a navegação no período da cheia.

Em debate no Congresso Nacional um acordo para exploração comercial do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), se aprovado a cidade deve receber nos próximos ano uma série de investimentos estrangeiros para desenvolvimento econômico daquela região.

O que dizem os citados

O Município de Alcântara manifestou que “o pedido de desculpas do deputado Edilázio Júnior, apresentado à imprensa horas depois, não afasta a repercussão desastrosa da referida manifestação que atingiu o povo de Alcântara, da Baixada e todos da parcela da nossa sociedade que não dispõe de recursos financeiros da chama classe A”.

Por meio de nota Edilázio diz que suas falas foram mal interpretadas e que sempre defendeu os mais humildes.

O governador Flávio Dino disse que “claro que não dá para levar a sério ‘argumentos’ preconceituosos contra moradores da Baixada, mototaxistas e outros trabalhadores. Não será esse tipo de oposição que vai parar o projeto do cais turístico na Ponta D’Areia”.


#tags