INSCREVA-SE JÁ
07 de Maio de 2018, 08h39

Contas de operador tucano Paulo Preto receberam grandes depósitos durante governo Serra, diz MP da Suíça

O valor equivale a R$ 121 milhões, corrigido pela cotação da última sexta

De acordo com documento sigiloso que as autoridades suíças enviaram ao Brasil, o engenheiro Paulo Vieira de Souza, o operador tucano Paulo Preto, abriu quatro contas no banco Bordier & Cie, em Genebra. O fato se deu quarenta e três dias depois de ter sido nomeado diretor de engenharia da Dersa (empresa responsável por obras rodoviárias de São Paulo), em 24 de maio de 2007.

O fato aconteceu entre 2007 e 2009, durante o governo de José Serra (PSDB), quando as suas contas receberam “numerosas entradas de fundos”, ainda de acordo com o comunicado do Ministério Público da Confederação Suíça.

Fontes ligadas ao órgão afirmam que está nesse período a maior parte dos depósitos de Souza naquele país.

As quatro contas tinham um saldo de US$ 34,4 milhões quando Souza, conhecido como Paulo Preto, decidiu transferir os recursos da Suíça para as Bahamas, no começo de 2017. O valor equivale a R$ 121 milhões, quando corrigido pela cotação da última sexta (4).

Na Suíça, o ex-diretor da Dersa já estava sob investigação das autoridades que cuidam do combate à lavagem de dinheiro e corria o risco de ter os R$ 121 milhões sequestrados pelas autoridades.

Leia o texto completo na Folha