Imprensa livre e independente
11 de novembro de 2016, 10h30

Contra a PEC 55, ruas e estradas de São Paulo amanhecem bloqueadas

Com interdições em diversos pontos do estado, movimentos alertam para riscos de congelamento dos investimentos públicos e conclamam população para lutar por seus direitos Por RBA Movimentos populares fazem manifestação em diversos pontos da capital paulista e em rodovias do estado desde o início da manhã de hoje (11). Bloqueios e trancamentos de vias públicas são parte do dia nacional de paralisações convocados pelas frentes populares e centrais sindicais contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55/2016 (antiga PEC 241 na Câmara) que limita os gastos públicos nos próximos 20 anos à correção da inflação do ano anterior, que...

Com interdições em diversos pontos do estado, movimentos alertam para riscos de congelamento dos investimentos públicos e conclamam população para lutar por seus direitos

Por RBA

Movimentos populares fazem manifestação em diversos pontos da capital paulista e em rodovias do estado desde o início da manhã de hoje (11). Bloqueios e trancamentos de vias públicas são parte do dia nacional de paralisações convocados pelas frentes populares e centrais sindicais contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55/2016 (antiga PEC 241 na Câmara) que limita os gastos públicos nos próximos 20 anos à correção da inflação do ano anterior, que tramita atualmente no Senado.

Manifestantes bloquearam a Avenida João Dias, na zona sul da capital, onde um grupo ateou fogo a pneus e entulho. AVia Anchieta, que liga São Paulo ao litoral, foi bloqueada pelos manifestantes na altura do quilômetro 23, no sentido São Paulo. Segundo o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) também foram bloqueadas a Regis Bitencourt, a Rodovia dos Bandeirantes e a Estrada de Itapecerica.

Veja também:  Questionário para emprego em órgão federal pede opinião sobre "intenção de Bolsonaro"

Na Via Dutra, que liga a capital paulista ao Rio de Janeiro, a pista expressa foi interditada no sentido São Paulo, próximo a Guarulhos. A interdição ocorre na altura do quilômetro 206 até o 210. Na Rodovia Anhanguera, na cidade de Sumaré (região de Campinas), moradores da ocupação Vila Soma fecharam a pista sentido interior – a Polícia Militar prendeu cerca de 20 pessoas que estavam a caminho do ato do MTST na Anhanguera. A maioria eram  mulheres.

Trabalhadores da Sabesp também aderiram ao Dia Nacional de Mobilização e paralisara atividades em diversos pontos da capital paulista – Centro, Mooca, Ipiranga e Consolação Itaquera, São Miguel, Casa Verde, Franco da Rocha e Vila Maria –, na grande São Paulo, como em São Bernardo do Campo, e também no interior, nas cidades de Taubaté, Pindamonhangaba, São José dos Campos, Itapetininga, Avaré, Itapeva, Presidente Prudente, dentre outros municípios.

No ABC paulista, a CUT, Marcha Mundial das Mulheres e o Sindicato dos Professores do ABC reuniram-se em São Bernardo do Campo para reforçar as manfestações contra a PEC.

Veja também:  Greve Geral: Mulheres se somam às vozes das ruas - Por Juliana Cardoso

Pelo país

Em Porto Alegre, nessa manhã, estudantes e militantes do MTST param Avenida do Bento Gonçalves em Porto Alegre. Estudantes da PUC-RS, que também ocupam o campus da universidade, bloquearam a Avenida Ipiranga, em Porto Alegre. Também estão previstas do MTST em outras cidades.

Na Bahia, centrais sindicais e movimentos populares bloqueiam a via de acesso ao Polo de Camaçari.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum