Blog do Valdemar

Valdemar Figueredo Filho (Dema). Cientista político e teólogo nas horas vagas. Místico de olhos abertos. Eventualmente poeta sem rima mas deslumbrado com o prosaico.

21 de setembro de 2012, 22h25

Contra o Voto de Cajado

Fui convidado a participar do debate promovido pela Rede Fale (http://redefale.blogspot.com.br/). Trata-se de uma campanha contra o “voto de cajado”. A ideia seria reunir intelectuais cristãos diante da inoportuna posição de líderes evangélicos que expõem as comunidades religiosas como se fossem “currais eleitorais”. A Rede Fale conta com as redes sociais e com encontros presenciais para atingir o público das igrejas. Os fóruns foram planejados para acontecerem nas cidades de Aracaju, São Paulo, Belo Horizonte, Fortaleza e Rio De Janeiro. Diante desta modesta reação fico com a impressão que o incômodo de setores das igrejas evangélicas é crescente com os líderes presunçosos.

A ideia de ovelhas dóceis, cegas, caminhando em fila em obediência ao pastor que não suja os pés com elas, mas que através do rádio e televisão tornam suas vozes conhecidas, parece que vacila. Tais apontadores de caminhos e cabos eleitorais sazonais precisão sentir no lombo o cajado das suas ovelhas. Na teoria da comunicação aprendemos que emissão difere da recepção. Pois é, os poderosos controladores de estruturas de comunicação podem emitir as mensagens que quiserem, têm todo direito, mas lembrar que os mesmos não têm controle pleno sobre a recepção.

Dirijo-me especialmente para a comunidade evangélica: reagiremos como ovelhas ou passaremos o recibo para a sociedade de que somos na verdade curral de burros?

Aqui na cidade do Rio de Janeiro apoios a candidatos para a Câmara Municipal virou Glossolalia pragmática: o Ministro Marcelo Crivella (PRB) indica para reeleição Tânia Bastos (PRB); o televisivo R. R. Soares incensa Jorge Manaia (PDT); o compulsivo Silas Malafaia ungiu Alexandre Isquierdo (PMDB); o controvertido bispo/político Manoel Ferreira colocou a sua “simpatia” aos serviços do candidato Jorge Borges (PSL); pastor Ezequiel Teixeira aconselha aos eleitores que reelejam sua esposa, vereadora Márcia Teixeira (PR); o apóstolo Valdemiro Santiago aposta no missionário Armando José (PSB); pastor Abner Ferreira garante que o Rio precisa da competência do Eliseu Kessler (PSD); verdadeiro decano na relação evangélicos e política, o Deputado Federal Arold de Oliveira (PSD) abraça a candidatura do Charbel (PSD). Tais apoios ocorrem de forma extensiva através de farta propaganda nas ruas e até mesmo com aparições no Horário Eleitoral Gratuito no rádio e televisão.

Pronto, formou. Se estamos predestinados a sermos uma república das bananas, que sejamos uma república das bananas evangélicas. É isso? Para tanto, contemos com os competentes pastores que para empurrar o rebanho não precisam de cajado, apenas das novas concessões de radiodifusão. Os grades cabos eleitorais citados, no que elegem despachantes para suas empreitadas eclesiásticas, demarcam seus territórios e reafirmam seus poderes sociais, econômicos, religiosos e políticos.

Faço votos que a Rede Fale consiga fazer ecoar as vozes descontentes. Cachorro late. Lobo uiva. Gato mia. Quanto à ovelha, ovelha berra!