17 de setembro de 2018, 19h20

Cristina Kirchner tem prisão decretada em “Lava Jato Argentina”

Mesmo com a prisão decretada, a ex-presidente só poderá ser presa se dois terços dos senadores argentinos aprovarem a perda de imunidade parlamentar que ela tem por ter foro privilegiado

Foto: Presidência da Argentina/Fotos Públicas

A ex-presidente da Argentina e senadora Cristina Kirchner teve sua prisão solicitada pelo juiz federal Claudio Bonadio, que também pediu a prisão de ex-integrantes do governo e de empresários.

A “operação Lava Jato da Argentina” tem acusações que envolvem o setor da construção civil e obras públicas que foram feitas durante os mandatos de Cristina e de seu marido Néstor Kirchner, que já morreu. Os empresários são suspeitos de pagar propina pra eles.

Mesmo com a prisão decretada, a ex-presidente só poderá ser presa se dois terços dos senadores argentinos aprovarem a perda de imunidade parlamentar que ela tem por ter foro privilegiado.