11 de outubro de 2018, 17h04

Cristovam Buarque, que votou a favor do impeachment, diz que votará em Haddad

"Não vou ajudar a abrir a porta do Brasil para o autoritarismo e a intolerância. Votarei no Haddad", escreveu o político, que acaba de perder sua cadeira no Senado

Foto: Edilson Rodrigues

O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) informou nesta quinta-feira (11) que votará em Fernando Haddad (PT) para a presidência.

Buarque, que acaba de perder sua cadeira no Senado, tem sido nos últimos anos um ferrenho crítico do PT chegando, inclusive, a votar a favor do impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff em 2016. Agora, no entanto, afirma que votará no PT para não “abrir a porta” do autoritarismo e da intolerância.

“Não vou ajudar a abrir a porta do Brasil para o autoritarismo e a intolerância. Votarei no Haddad”, escreveu em seu Twitter. Pelo Facebook, o senador divulgou um texto em que detalha as motivações para a sua escolha.

“Sem democracia a oposição ficaria impedida, os crimes e erros ficariam escondidos pela censura, como sofremos durante 21 anos de governos ditatoriais, desenvolvimento concentrador da renda e depredador da natureza, e com corrupção escondida. A democracia nos permite impedir gestos autoritários, barrar intolerância, proteger a natureza, garantir direitos humanos e, se necessário, reorientar o governo, dentro da Constituição. Por isso, sem ilusões, votarei Haddad”, explicou.

Confira a íntegra de sua postagem.