ASSISTA
16 de Abril de 2018, 20h02

Da prisão, Lula envia carta aos apoiadores do acampamento dizendo que ouve manifestações

Ex-presidente, através de seus advogados, enviou uma carta aos apoiadores que foi lida pela presidenta do PT, Gleisi Hoffmann: "Continuo desafiando a Polícia Federal da Lava Jato, o Ministério Público da Lava Jato, o Moro e a segunda instância a provarem o crime que alegam que eu cometi". Assista

Foto: Ricardo Stuckert

A presidenta do PT, senadora Gleisi Hoffmann, leu há pouco aos militantes que estão em vigília no acampamento Lula Livre, em frente à sede da Polícia Federal em Curitiba (PR) onde o ex-presidente Lula está preso desde o último dia 7, uma mensagem enviada pelo próprio petista. Proibido de receber visitas diariamente, Lula ditou a mensagem aos seus advogados, que a transcreveram em uma carta.

“Eu ouvi o que vocês cantaram. Estou muito agradecido pela resistência e presença de vocês neste ato de solidariedade. Tenho certeza que não está longe o dia em que a Justiça valerá a pena”, disse Lula.

Na mensagem, o ex-presidente afirmou ainda que continua “o desafiando a Polícia Federal da Lava Jato, o Ministério Público da Lava Jato, o Moro e a segunda instância a provarem o crime que alegam que eu cometi” e que, apesar de indignado com a injustiça, está tranquilo.

Leia a íntegra e assista, abaixo, o vídeo da senadora Gleisi Hoffmann lendo a mensagem.

Eu ouvi o que vocês cantaram. Estou muito agradecido pela resistência e presença de vocês neste ato de solidariedade. Tenho certeza que não está longe o dia em que a Justiça valerá a pena. Na hora em que ficar definido que quem cometeu crime seja punido. E que quem não cometeu seja absolvido. Continuo desafiando a Polícia Federal da Lava Jato, o Ministério Público da Lava Jato, o Moro e a segunda instância a provarem o crime que alegam que eu cometi. Continuo acreditando na Justiça e por isso estou tranquilo, mas indignado como todo inocente fica indignado quando é injustiçado.

Grande abraço e muito obrigado.