ASSISTA
01 de julho de 2017, 09h30

Dallagnol avisa que, de volta ao Senado, Aécio pode acabar com a Lava Jato

Em sua página no Twitter, Dallagnol escreveu que não faltavam motivos para Aécio estar atrás das grades.

Em sua página no Twitter, Dallagnol escreveu que não faltavam motivos para Aécio estar atrás das grades.

Da Redação*

Líder da Força-Tarefa da Operação Lava Jato que comanda as investigações do Ministério Público Federal (MPF) em Curitiba, o procurador Deltan Dallagnol deu a entender na tarde desta sexta-feira que a volta de Aécio Neves ao Senado poderá ter consequências.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, negou o pedido de prisão do tucano feito pela Procuradora-Geral da República (PGR), e permitiu que o parlamentar reassuma a sua cadeira no Senado.

Em sua página no Twitter, Dallagnol escreveu que não faltavam motivos para Aécio estar atrás das grades, e que agora, de volta ao Parlamento federal, o senador poderá inclusive articular em favor do fim da Lava Jato e pela anistia dos políticos envolvidos nas investigações.

“Havia razões para estar preso, mas influenciará leis que governam nosso país. Livre inclusive para articular o fim das Lava Jato e anistia”, comentou o procurador, líder da Força-Tarefa que apura os casos de investigados sem foro privilegiado, ou seja, na primeira instância.

*Com informações da Agência Sputinik

Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados